LIBERDADE RELIGIOSA SOB AMEAÇA GLOBAL, DIZ EMBAIXADOR CANADENSE


Andrew Bennett, embaixador de Liberdade Religiosa do Canadá, apresenta o discurso de abertura do 11 º Jantar Anual Norte-Americano de Liberdade Religiosa, que pelo segundo ano consecutivo foi organizado pela Embaixada do Canadá para os Estados Unidos, em Washington. No jantar, o embaixador Bennett teve oportunidade de se encontrar com um amplo leque de representantes de grupos da sociedade civil envolvidos na questão da liberdade religiosa no mundo. [foto: Escritório de Liberdade Religiosa do Canadá]

Liberdade Religiosa Embaixador Canadense
NO DISCURSO DURANTE CEIA DA ‘LIBERTY’ BENNETT PROMETE VOZ ATIVA
April 30, 2013 | Washington, D.C. | Mark Kellner, Adventist Review

Chamando a liberdade de culto “um direito humano fundamental … que está sob crescente ameaça em todo o mundo”, Andrew P. W. Bennett, novo embaixador de Liberdade Religiosa do Canadá, prometeu o apoio do seu país para os crentes, por todo o mundo, cujos direitos estão sob perigo em comentários feitos para uma platéia de defensores da liberdade religiosa em 18 de abril.

“Estamos profundamente preocupados com a situação em várias partes do mundo onde os indivíduos, incluindo muçulmanos ahmadi, os bahá’ís, caldeus católicos e coptas ortodoxos, budistas tibetanos, judeus e muçulmanos rohingyas, entre outros, experimentam dificuldade na sua capacidade de adorar e praticar sua fé em paz”, disse Bennett a cerca de 150 convidados ao Jantar Anual de Liberdade Religiosa, co-patrocinado pela revista ‘Liberty’, a Associação Norte-Americana de Liberdade Religiosa e a Associação Internacional de Liberdade Religiosa.

Como se deu em 2012, quando o honorável John Baird, ministro das Relações Exteriores do Canadá, foi o orador do jantar, o evento se realizou na embaixada do Canadá em Washington, DC.

“A liberdade religiosa não significa apenas liberdade de culto. Também significa liberdade de estudar a fé, liberdade para pregar, liberdade de se envolver em atividade missionária, liberdade de mudar de fé e, também, liberdade de não ter nenhuma crença religiosa”, declarou Bennett, um erudito que foi professor e reitor do Colégio Santo Agostinho em Ottawa antes de sua nomeação em fevereiro 2013.

Ele acrescentou: “A necessidade de ação em defesa da liberdade religiosa em muitos países, é urgente. A perseguição religiosa está em ascensão por todo o mundo. Somos chamados a agir e defender os direitos humanos de todos. Devemos fazê-lo, porque a liberdade religiosa não é uma questão teológica, é uma questão humana. Toda a sociedade deve reconhecer a dignidade humana básica de todos, independentemente da fé. Todos nós possuímos o livre-arbítrio. Temos que ter a liberdade de exercê-lo em matéria de fé”

Bennett explicou, “O Canadá é uma sociedade pluralista de muitas culturas e credos. Mas compartilhamos uma humanidade comum com pessoas de todo o mundo. Como tal, é nosso dever comum defender os direitos dos aflitos e dar voz aos que não têm voz”.

Ele prometeu o apoio do Canadá, não só para a liberdade religiosa global, como também para eliminar o que chamou de restrições injustas sobre as atividades de religiões minoritárias em vários países ao redor do mundo.

“Os grupos religiosos que enfrentam perseguição vão saber que têm um amigo e apoiador no Canadá. Vamos continuar a condenar veementemente todos os ataques a locais de culto, seja em templos, sinagogas, santuários, mesquitas ou igrejas. É de extrema importância que cada indivíduo seja capaz de praticar a sua fé, livre da ameaça de violência e discriminação”, disse Bennett.

“Muitos grupos religiosos enfrentam restrições legislativas e restrições regulamentares injustas que podem retirar liberdades democráticas fundamentais”, continuou ele. “Liberdades que incluem o direito fundamental de votar, como vimos com os ahmadiyyas no Paquistão. Estas restrições impostas sobre grupos religiosos sob o pretexto de manter a ordem e a segurança minam a dignidade básica e, certamente, os direitos humanos de muitos ao redor do mundo”.

Bennett disse: “O Canadá está preparado para liderar, com os nossos parceiros e aliados, a promoção da dignidade da pessoa humana e o direito inerente a cada ser humano de professar e praticar livremente a sua fé. Fazemo-lo sabendo que as sociedades que protegem a liberdade religiosa são mais propensas a proteger outras liberdades fundamentais”.

Dois outros indivíduos foram homenageados no evento. Charles C. Haynes, diretor do Projeto de Educação em Liberdade Religiosa em Newseum, em Washington, DC, recebeu o prêmio nacional, apresentado pelo editor da revista ‘Liberty’, Lincoln Steed. Katrina Lantos Swett, presidente da Comissão dos Estados Unidos Sobre Liberdade Religiosa Internacional, recebeu o prêmio internacional, apresentado por John Graz, secretário-geral da AILR.

Mais informações sobre a revista ‘Liberty’, que é patrocinado pelos Adventistas do Sétimo Dia, podem ser encontrados on-line em http://www.libertymagazine.org.

Anúncios