ACHADO AMULETO DE FILHO PARA MÃE NO GUETO DE LODZ


O Instituto Shem Olam para a Educação, Documentação e Pesquisa sobre a Fé e o Holocausto recebeu um amuleto com uma dedicatória de um filho para sua mãe, que sobreviveu ao Holocausto.

“Com amor para a mãe, de Avram. Lodz Ghetto. Março de 1943,” escreveu o filho no amuleto, que foi montado a partir de duas moedas antigas.

Avram também fez um desenho do gueto, que inclui a cerca ao redor, a torre de guarda e a ponte que dividia o gueto em dois.

As letras LW, acredita-se serem as iniciais do nome da mãe, também foram esculpidas no amuleto.

amuleto de filho para mãe judia holocausto

The amulet, dated 1943 (Photo courtesy of The Shem Olam Institute)

O amuleto foi encontrado nas ruínas do gueto por um homem polonês que não tinha conhecimento do valor histórico de sua descoberta. Após mais de 70 anos, o amuleto finalmente encontrou seu caminho no instituto, através dos herdeiros de Finder.

O amuleto devia estar no gueto, em março 1943, e foi dado como um presente de um filho para sua mãe para que ela pudesse ter uma lembrança dele. Ele foi enviado para um campo de extermínio.

A instituição acredita, ainda, que o resto dos membros da família, que incluía o pai e vários outros irmãos que foram forçados a realizar trabalho escravo, foram enviados para o campo de extermínio, em 1942, antes da gravação do amuleto.

Tanto o filho quanto a mãe, de acordo com pesquisa do instituto, foram enviados para o campo de extermínio, em 1944, e foram mortos no mesmo ano – cerca de um ano após o amuleto ter sido gravado com a dedicatória.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Lodz hospedou o segundo maior gueto judeu. Mais de 200.000 judeus dizem ter passado por esse gueto, muitos indo mais tarde para o famoso campo de extermínio de Auschwitz. Apenas 10 mil teriam sobrevivido. Sábado passado marcou 70 anos desde a liquidação do gueto.

“A descoberta emocionante fala de uma história de amor entre um filho e sua mãe, disse o rabino Avraham Dr. Krieger, diretor do Shem Olam, Instituto de Estudos do Holocausto.”

Fonte: Rua Judaica 05 de setembro de 2014

Anúncios