Conteúdo Temático de Levítico – Vaicrá


Visão Geral: Capítulos 1-16

            Fica evidente, a partir de qualquer revisão da literatura comentada sobre Levítico, que o livro é bem organizado. Com exceção de algumas diferenças mínimas, os esboços de Levítico impressos pelos comentários bíblicos são similares. O livro se divide em duas metades – capítulos 1-16 e 17-27. O primeiro bloco de 15 capítulos, que trata de vários aspectos do sistema sacrifical, atinge seu clímax na legislação do Dia da Expiação no capítulo 16. A segunda metade do livro assume um caráter diferente. O cerne dessa seção (cap. 17-26) é considerado como o “Código da Santidade”, pois nessas instruções um Deus santo chama seu povo a viver em santidade.

Santuário desenhado

  1. Legislação Cúltica (cap. 1-7).

            Examinamos agora o conteúdo das subseções de cada metade de Levítico para descobrir que padrões podem ser evidenciados. Os primeiros sete capítulos tratam da legislação Cúltica pertencente ao sacrifício.

            A legislação começa com uma subseção sobre os holocaustos particulares (cap. 1), as ofertas de manjares (cap. 2) e uma classe de sacrifícios conhecida como sacrifícios pacíficos (cap. 3). (1)

            A subseção seguinte (4:1-5:13) trata do importante assunto da oferta pelo pecado (hattã’t, singular; hattã’ôt, plural). As categorias de pessoas que oferecerão esse sacrifício particular são descritas numa ordem decrescente de classificação começando com:

  • Os sacerdotes (4:3-12)
  • E seguidos pela congregação com um todo (4:13-21),
  • Os príncipes das tribos (4:22-26),
  • E finalmente, as pessoas comuns como indivíduos (4:27-35).

Levita e Sacerdote

            Procedimentos específicos são determinados para cada classe. Em geral, os animais sacrificais usados pelas primeiras duas categorias eram novilhos; os oferecidos pelas últimas duas categorias eram bodes e cabras respectivamente.

            As ofertas de culpa (‘ãsãm) são a última classe de sacrifício discutida (5:14-6:7). Essas parecem ter tido uma aplicação mais limitada do que as mencionadas previamente. As pessoas não estão classificadas, apenas suas ofensas, que são limitadas a três tipos:

  1. Sacrifício pelo sacrilégio (5:15-16).
  2. Pelos pecados de ignorância ( 5:17-19).
  3. Pecados voluntários (6:1-7).

sacrificio 2

            Os animais usados em todos os três casos eram carneiros jovens ou adultos.

            O texto agora se volta para instruções aos sacerdotes com relação ao manejo desses mesmos sacrifícios (6:8-7:38). A sequência é a mesma, com exceção de que os versículos que tratam das ofertas pacíficas aparecem por último (7:11-21, 28-34). Provisões especiais são adicionadas a essa subseção para os sacerdotes (7:8-10), algumas instruções diferentes para o povo (7:22-27), e um resumo e uma conclusão (7:35-38). Isso finaliza a primeira seção de sete capítulos que trata da legislação sacrifical. Seu conteúdo forma um todo lógico e coeso.

sacerdote

  1. História dos Sacerdotes (cap. 8-10).

            A segunda principal seção de Levítico abrange apenas três capítulos (8-10) e fala da consagração de Arão e de seus filhos como sacerdotes que oficiarão no santuário. O tema da passagem se divide em quatro partes:

  1. Um prólogo de instruções (8:1-5).
  2. Uma descrição do início da cerimônia (8:6-36).
  3. Uma descrição da conclusão da cerimônia que acontece uma semana depois (cap. 9).
  4. Um epílogo (cap. 10).

            Esse último capítulo descreve a atividade imprópria dos novos sacerdotes, Nadabe e Abiú, e sua execução por Deus (10:1-11). Após alguns versículos de legislação sacerdotal (10:12-15), a passagem se encerra com uma narrativa histórica sobre o questionamento de Moisés sobre a oferta pelo pecado, se ela foi manipulada corretamente (10:16-20).

            Portanto, é evidente que toda essa seção de três capítulos trata do tópico principal da consagração do sacerdote e sua família no serviço do santuário.

sacrificio

            Alguns comentaristas ficam confusos ao encontrar regulamentos que tratam dos sacrifícios repetidos nos capítulos 6-7, pois isso já foi tratado na legislação anterior. (2) eu sugeriria que os contextos dos capítulos 8-10 fornecem uma explicação parcial para essa característica do texto. Os capítulos 6-7 tratam de como os sacerdotes deveriam lidar com os sacríficos em seu ministério para o povo, mas a ênfase na instrução anterior era sobre o povo e a parte que desempenhava em oferecer esses sacrifícios. Além disso, essa ênfase sobre os sacerdotes nos capítulos 6-7 conduz ao tópico dos capítulos 8-10.

            Portanto, em certo sentido, os capítulos 6-7 antecipam os capítulos 8-9. Por outro lado, eles relembram um aspecto especial dos conteúdos dos capítulos 1-5. Eles não são repetitivos de maneira a desviar o propósito do livro, mas acrescentam uma nova dimensão do tema sob discussão e tornam possível uma transição natural entre duas partes.

Leproso

  1. Leis Pessoais de Impureza (cap. 11-15).

            A terceira importante seção de Levítico considera o tema da impureza (tãmê’, verbo) e como ela era tratada. Os capítulos dessa seção lidam sucessivamente com:

  • Animais imundos (cap. 11);
  • A impureza trazida pelo parto (cap. 12);
  • Doenças impuras (cap. 13);
  • Purificação de tais doenças (cap. 14);
  • E fluxos impuros (cap. 15).

            Considerando que essa seção será mencionada novamente, alguns comentários breves fornecerão um panorama. Ao entrar em contato com animais impuros, o israelita fica impuro até à tarde e deveria se purificar se banhando e lavando suas roupas (11:27-28, 31-32).

            A purificação da impureza resultada do parto ou fluxos requeria o sacrifico de ofertas para holocausto e ofertas pelo pecado (12:6-8; 15:15,30). A purificação do estado de lepra envolvia todo o espectro sacrifical: holocausto, oferta de manjares, oferta pela culpa (‘ãsãm), e oferta pelo pecado (hattã’t, 14:12-13, 19-23).

            Um importante ponto a se observar é que a purificação da impureza não requeria um tipo diferente de oferta daquela previamente prescrita para o pecado. Ofertas pelo pecado e holocaustos eram oferecidas tanto pelo pecado como pelos tipos mais sérios de impureza. Mais uma vez, essa seção de Levítico pode ser vista de forma bem clara como um todo coerente.

sacerdotes

  1. Dia da Expiação (cap. 16). (Yom Kipur)

            Com o capítulo 16, a instrução para o serviço do Dia da Expiação, atingimos o final da legislação que apresentou os sacríficos prescritos. Desse modo, o ritual do Dia da Expiação é o apogeu e clímax do sistema sacrifical esboçado em Levítico.

            O capítulo 16 também constitui um ponto de transição importante no livro. A legislação agora é sobre as exigências e obrigações impostas sobre aquele que observa a lei de Deus. Assim, o apogeu do Dia da Expiação não apenas marca o ápice da legislação do serviço sacrifical, mas também demarca o centro temático e ponto alto do livro de Levítico.

santidade

Visão Geral: Capítulos 17-27

            A segunda metade de Levítico tem sido chamada de Código de Santidade. Suas estipulações se estendem do capítulo 17 ao 25. O capítulo 26 pronuncia bênçãos ou maldições sobre o obediente ou desobediente. O capítulo 27 conclui o livro com certas leis com respeito aos votos de dedicação. Tem havido alguns debates entre os comentaristas com respeito a se existe uma progressão lógica de instrução no Código de Santidade. Para o nosso propósito presente assumiremos que sim. Entretanto, é evidente que a segunda parte do livro contém uma coleção de tipos de legislação semelhantes que estão em contraste com a legislação sacrifical encontrada na primeira parte.

            Duas outras características unem essas coleções de leis à segunda metade de Levítico:

  • O uso do mesmo tipo de introdução para suas respectivas seções
  • O estímulo teológico para sua observância que aparece nas declarações recorrentes: “Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo” (Lv 19;2). Dai a identificação dessa coleção razoavelmente bem organizada de leis como Código de Santidade.

            Embora algumas autoridades continuem a considerar Levítico como resultado de uma evolução através de estágios sucessivos (3) – um curioso retrocesso a uma geração passada de eruditos – a evidência de sua organização sucinta, a estrutura temática e literária integradas dão apoio à sua unidade e autoria única.

Autor: William H. Shea, Setenta Semanas – Levítico e a Natureza da Profecia – Editor Frank b. Holbrook, págs. 96-99, UNASPRESS, 2010.

Notas:

1 – Essas ofertas são mencionadas novamente em Levítico 6:9-13; 6:14-18 e 7:11-21 (como ofertas de ação de graças). Ali a ênfase é sobre a manipulação dos sacríficos pelos sacerdotes; aqui, a legislação destaca mais o papel do ofertante.

2 – G. J. Wenham, “The Book of Levíticus”, The New International Commentary on the Old Testament 3 (Grand Rapids, 1959), p. 117.

3 – M. Noth, Levíticus, Old Testament Library (Filadélfia, 1977), p. 12.

           

Anúncios