Charlie Hebdo não é uma publicação religiosa


charlie Hebdo

Charlie Hebdo não é uma revista religiosa. O oposto é verdadeiro. É uma revista que zomba das religiões e especialmente de extremistas religiosos. As charges que a revista publica desde seus primeiros dias podem ter ofendido as pessoas religiosas. Mas é o seu caminho. Eles fazem o mesmo com política e os negócios.

Quando as pessoas oprimem, torturaram e matam em nome de Deus, os cartunistas do Charlie Hebdo respondem – vamos representá-los e as suas crenças como estúpidos. Esta é a liberdade de expressão e este é o preço que pagamos por todas as liberdades que nós apreciamos. Enquanto Charlie Hebdo pode zombar da religião, as pessoas religiosas podem responder da maneira que eles querem. Eles podem ignorar, tentar processá-los ou, melhor ainda, eles podem abrir um diálogo para entender melhor um ao outro. É a maneira que nós fomos ensinados a seguir por anos.

Uma sociedade livre é aquela em que as pessoas de opiniões diferentes podem discordar abertamente, debater e dialogar. No final, cada um retem o que for bom. Pessoas de diferentes religiões também têm o direito de discordar publicamente de outros.

Certamente, quando a liberdade de expressão é atacada, como foi em Paris, todas as liberdades estão em perigo. Se um caricaturista é morto por sua caricatura, podemos esperar que em breve um pregador será morto por seu sermão e um escritor por seus escritos.

Como defensores da liberdade religiosa, não devemos esquecer que a liberdade expressão está ligada a ela e quando uma é atacada violentamente a outra em breve será atacada também. A liberdade de religião depende da liberdade de expressão. Em Paris, na quarta-feira 07 de janeiro de 2015, alguns fanáticos tentaram destruir essa liberdade.

Fonte: traduzido por HJ de: http://www.irla.org/charlie-hebdo-is-not-a-religious-magazine

Anúncios