DEVOLVIDAS PEDRAS DE 2000 ANOS ROUBADAS EM ISRAEL


Amos Cohen, um empregado do Museu das Culturas Islâmicas e do Oriente, próximo a Beersheba, não acreditou no que viu, na semana passada, quando ele abriu um saco deixado no pátio do museu contendo duas pedras de estilingue e um bilhete anônimo escrito em hebraico. “Estas são duas bolas romanas de Gamla, de um bairro residencial ao pé da cúpula”, dizia o bilhete. “Eu as roubei, em julho de 1995, e desde então elas me trouxeram só problemas. Por favor, não roube antiguidades!”

A diretora do museu, Dra. Dalia Manor, apressou-se em devolver as pedras para a Autoridade de Antiguidades de Israel, e agora as relíquias estão com outras bolas ballistas de Gamla, no Departamento Nacional do Tesouro, nas colinas de Golan. 

Na segunda-feira passada, o Dr. Danny Syon do IAA, que supervisionou inúmeras escavações em Gamla, por diversos anos, congratulou-se com o regresso das pedras. “Quase 2.000 dessas pedras foram encontradas durante as escavações arqueológicas na Reserva Natural de Gamla, e este é o local onde há o maior número de pedras ballistas do período romano precoce”, disse ele. 

“Muitas outras pedras como estas estão agora em exposição na Reserva Natural de Gamla”, acrescentou Syon. “Os romanos atiravam estas pedras nos defensores da cidade, a fim de mantê-los longe do muro e, desta forma, eles poderiam se aproximar do muro e quebrá-lo com um aríete”, explicou. 

“As pedras foram esculpidas manualmente no local por soldados ou presos.” De acordo com Syon, as pedras devolvidas não são o primeiro caso de remorso de um ladrão depois de roubar antiguidades pertencentes ao Estado. 

“No passado, um caixão judaico de 2000 anos foi devolvido para a Unidade de Prevenção do Roubo de Antiguidades”, disse ele. “Ele tinha estado no quarto de um residente de Tel Aviv, até que ele percebeu o significado mórbido da descoberta.” 

Em outro caso, Syon disse que um ministro religioso de Nova York pediu perdão para um membro de sua congregação cuja consciência foi atormentada depois que ele levou uma pedra de Jerusalém, há mais de uma década antes. A pedra foi devolvida aos Tesouros Nacionais do Departamento, disse Syon.

www.ruajudaica.com

Anúncios