HISTORIADOR BRITÂNICO REVELA QUE A INGLATERRA LIBERTOU CENTENAS DE NAZISTAS APÓS O HOLOCAUSTO



Um historiador britânico revelou que o Reino Unido libertou centenas de criminosos de guerra nazistas, após a Segunda Guerra Mundial, relatou o Jewish Chronicle.

O Dr. Dan Plesch, diretor do Centro de Estudos Internacionais e Diplomacia na SOAS, parte da Universidade de Londres, descobriu documentos da Comissão de Crimes de Guerra das Nações Unidas que mostram que ex-nazistas foram libertados de prisões britânicas, após o Holocausto.

De acordo com os documentos, a Grã-Bretanha libertou Oskar Groening, conhecido como o “guarda-livros de Auschwitz”, Erich von Manstein, Gerd von Rundstedt e Albert Kesselring, informou o Jewish Chronicle. Groening foi condenado a quatro anos de prisão no início deste mês. 

Plesch disse que os ex-oficiais nazistas foram liberados sob a pressão dos EUA, que queriam a Alemanha em seu lado na Guerra Fria.

“Houve uma discussão política no momento em que aqueles que se opunham à justiça penal internacional foram bem sucedidos. Muitas pessoas foram liberadas sem muita investigação e, em seguida, pessoas que estavam realmente em campos de prisioneiros foram soltas. Centenas de suspeitos e condenados nazistas foram liberados”, citou o Jewish Chronicle.

Ele acrescentou: “Na verdade, cadeias britânicas estavam vazias por volta de 1957, depois de muita pressão da Alemanha e de associações alemães de veteranos do exército que se recusavam a apoiar o rearmamento contra a URSS, enquanto eles permanecessem na cadeia.”

www.ruajudaica.com

Anúncios