Elisha o Profeta


Terça-feira

O ministério do profeta Elisha no nono século a.e.c. chega até nós numa série de vários episódios que se estenderam por mais de 50 anos. A maior parte de sua atuação se passou à frente da escola dos profetas, e foi, principalmente, um ministério público. Incluiu a Revelação de sinais e maravilhas, tanto em nível pessoal quanto nacional. Elisha foi um profeta cujo conselho e ajuda eram procurados tanto por reis quanto por pessoas comuns.

Elias arrebatamento

  1. Leia M’lakhim Bet [2 Reis] 2:1-15. O que a passagem diz sobre o chamado e o trabalho de Elisha?

Não há dúvida de que Elisha foi chamado por D-s. Ele teve algumas experiências incríveis que devem ter confirmado em sua própria mente seu chamado. E o mais importante: seu pedido por uma “porção dobrada” do Espírito demonstrou sua consciência de que, para fazer o que fora chamado a realizar, ele precisaria do poder divino, porque, em si mesmo, era incapaz de cumprir. Assim, mesmo naquele tempo, esse homem de D-s entendeu o que Yeshua disse muitos séculos mais tarde: “Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem permanece unido a mim, e eu, com ele, dá muito fruto; porque sem mim vocês não podem fazer nada” (Yochanan [João] 15:5). Essa é uma lição que todos precisamos aprender, não importa qual seja nossa posição na obra de HaShem. Obviamente, como podemos ver pela história do chamado de Elisha, esse poder, de fato, lhe foi concedido. Assim, Elisha revelou que tinha uma compreensão saudável e honesta de seu próprio papel e chamado quando declarou ao rei: Na’aman “saberá que há um profeta em Yisra’el” (M’lakhim Bet [2 Reis]  5:8). Também deve ter sido interessante a cena quando esse comandante militar e sua comitiva se apresentaram, em toda sua glória, à porta da casa de Elisha, que provavelmente devia ser relativamente pequena e modesta em contraste com o luxo do qual Na’aman desfrutava. Elisha, contudo, não pareceu nada intimidado por Na’aman e suas tropas. Na verdade, Elisha nem mesmo saiu para conhecer seu poderoso visitante; em vez disso, enviou um mensageiro, que deu ao comandante militar uma ordem! A única recompensa por sua longa viagem desde Dammesek foi uma instrução direta para que fosse ao Yarden e se banhasse! Mas ela foi acompanhada de uma promessa: “E você ficará limpo” (v. 10). Sem dúvida, o orgulho desse homem importante foi ferido. Porém, talvez o propósito fosse exatamente esse.

ESTUDO DIÁRIO

Leitura Chumash Parashat Matot-Massê, 3ª Alyá (Números 32:1-32:19) Tehilim [Salmos] 120-134 Leitura Anual: Mishlei [Provérbios] 16 a 19

Anúncios