Um novo converso ao Judaísmo


Quinta-feira 

  1. “Bem, eu aprendi que não há D-s em toda terra, exceto em Yisra’el. Portanto, por favor, aceita um presente de teu servo” (M’lakhim Bet [2 Reis] 5: 15). De que modo essas palavras ajudam a revelar a experiência da Yeshuah [Salvação]? Revelação 14:12; 1 Yochanan [1João] 5:2, 3; Romanos 6:1 Teria sido fácil para Na’aman retornar diretamente do Yarden para Dammesek após sua cura. Contudo, como um gesto de gratidão, ele e seus acompanhantes voltaram à casa do profeta. Dessa vez encontraram Elisha em pessoa. A confissão de que o D-s de Yisra’el é soberano no mundo é o principal tema da Bíblia. Essas palavras, vindas de um goy, constituem um dos pontos altos na revelação do Tanakh. A conversão de Na’aman deixou claro que sua nova experiência tinha que estar ligada ao D-s de Yisra’el. O profeta era Hebreu, o rio era o mais importante de Yisra’el e o número sete era uma ligação clara com o D-s da criação.

 Naamã 2

O que vemos em Na’aman é um exemplo de como a verdadeira emunah atua: Ele recebeu algo que nunca poderia ter obtido por si mesmo. O fato de que Elisha recusou os presentes (M’lakhim Bet [2 Reis] 5:16) foi uma forma de mostrar que a Yeshuah [Salvação] não pode ser obtida por esforço nem comprada, mas é inteiramente pela graça de D-s. Ao mesmo tempo, contudo, a disposição de Na’aman em dar algo para Elisha pelo que este lhe havia feito mostra a resposta de confiança e gratidão pelo que lhe havia sido concedido. Elisha recusou o presente. Nisso, seguiu o exemplo de Avraham, que ajudou os reis goyim, mas recusou as recompensas, afirmando que ninguém devia ser capaz de dizer: “Eu tornei Avram rico” (Bereshit [Gênesis] 14:23). Elisha sabia que a aceitação de um presente teria estragado a lição que Na’aman devia aprender. A cura era obra de D-s e um ato de pura graça. “Se aceitamos ao Mashiach como redentor, precisamos aceitá-lo como soberano. Não podemos ter certeza e perfeita confiança no Mashiach como Moshieno enquanto não o reconhecermos como nosso Rei e formos obedientes a suas mitzvot. Assim evidenciamos nossa lealdade a D-s. Nossa confiança tem, então, o timbre genuíno, pois é uma confiança operante. Ela atua pelo amor” (Faith and works , p. 16 adaptado).

Se os outros olhassem para sua vida, veriam nela uma prova de seu amor a D-s como resposta ao que ele fez por você no Mashiach?

 

ESTUDO DIÁRIO

Leitura Chumash Parashat Matot-Massê, 5ª Alyá (Números 33:50-34:15) Tehilim [Salmos] 140-150 Leitura Anual: Mishlei [Provérbios] 25 a 27

Anúncios