A Degeneração de uma Nação


Terça-feira

“Porque Me esqueceram e conspurcaram este lugar, queimando incenso a outros deuses, que nem eles nem seus pais, nem os reis de Y’hudah jamais conheceram, e empaparam este solo com o sangue de inocentes.” (Yirmeyahu 19:4).

Nessa passagem são apresentados alguns exemplos dos males que haviam sobrevindo a Y’hudah. Além de deixar o Eterno, oferecer incenso a “outros deuses” e derramar sangue inocente, também “profanaram” aquele lugar. O verbo hebraico ַוְיַנְכּרוּ [vaynakru] usado ali significa (e) “tornar estrangeiro”, “tornar estranho” ou “profanar”.

O texto não diz se esse “lugar” se refere ao templo ou a Yerushalayim. O ponto importante, porém, é que a nação devia ser [ ָקדוֹשׁ Kadosh] santa, especial ao Eterno (Shemot 19:5, 6), diferente e distinta das nações ao seu redor; mas não foi isso que aconteceu. Eles perderam seu caráter singular; perderam a distinção que os teria tornado um testemunho para o mundo. Tornaram-se iguais aos goyim.

deuses cananeus

4. Quais práticas dos goyim foram seguidas pelo povo de D’us? Que advertência isso traz para nós?

                                                                                                                                                Yirmeyahu 19:4, 5

“Construíram lugares elevados para Ba’al, para neles imolar seus filhos pelas chamas como ofertas de elevação a Ba’al, (praticando assim) atos que nunca ordenei, sobre os quais não falei e nem sequer ocorreram em Minha mente.” (Yirmeyahu 19:5). Embora o conceito de sacrifícios humanos fosse conhecido no mundo antigo, era amaldiçoado pelo Eterno, que proibiu essa prática para os judeus (Devarim 18:10). A frase traduzida acima como “nem Me passou pela mente”, no hebraico (ְולֹא ִד ַבְּרִתי ְולֹא ָע ְל ָתה ַעל- ִלִבּי velo dibarti velo alta al – libi.) significa: “nem Me subiu ao coração”. Essa era uma expressão idiomática que mostrava o quanto essa prática era alheia e contrária à vontade de D’us. Se nós, pecadores, endurecidos pelo pecado, achamos essa prática repulsiva, imagine como o santo D’us a devia considerar! Contudo, com o passar do tempo, o poder da corrupção e da cultura havia dominado de tal forma o povo de D’us que eles adotaram esse horrível ritual. Que lição aprendemos com isso quanto à facilidade com que podemos ser cegados pela cultura dominante!

Chegamos a concordar ou participar de certas práticas que, se estivéssemos ligados ao Eterno e em sintonia com Sua palavra como deveríamos estar, nunca as aprovaríamos, mas ficaríamos horrorizados com elas (ver Hebreus 5:14)!

Estudo Diário

Leitura Chumash parashat Chayê Sará, 3ª Alyá (Genesis 24:10-24:26) Tehilim 104-105;

Leitura Reavivados por Sua Palavra: Vaykrá 25 Leitura Anual: Yochanan 14, 15

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s