Chorando Por Tamuz


Embora às vezes Yirmeyahu possa ter se sentido muito sozinho, ele não estava só. D’us havia suscitado Yechezk’el, um contemporâneo dele, entre os cativos de Bavel, para confortar e advertir os exilados, bem como para confirmar o que o Eterno vinha falando por meio de Yirmeyahu durante esses longos e difíceis anos. por meio de seu ministério, Yechezk’el deveria advertir os cativos contra a loucura de crer nas falsas predições que anunciavam um breve retorno de Bavel. Ele também iria predizer, por meio de vários símbolos e mensagens, o cerco devastador que finalmente sobreviria a Yerushalayim devido à recusa do povo em se arrepender e abandonar seu pecado e sua apostasia.

escriba 21. Leia Yechezk’el 8. O que foi mostrado ao profeta? O poder da cultura dominante pode impactar as coisas sagradas? Que advertências há para nós nessa passagem?

Não importa com que frequência e clareza os escritos de Moshê e dos profetas tivessem advertido contra a avodah zarah, esses versos mostram que era exatamente isso que estava sendo praticado, mesmo dentro do templo sagrado. Chorar por Tamuz era uma lamentação ritual pelo deus mesopotâmico. Não é de admirar que o Divrei-HaYamim Bet [segundo livro das Crônicas] tenha dito:

“Além disso, todos os chefes dos kohanim e o povo aumentavam cada vez mais as suas transgressões, seguindo todas as abominações dos povos, e profanaram a Casa do Eterno, que Ele havia santificado para Si em Yerushalayim” (Divrei-HaYamim Bet 36:14).

Leia cuidadosamente Yechezk’el 8:12. A tradução do texto que menciona suas “câmaras infestadas de imagens” é um pouco ambígua. A expressão ְבּ ַחְדֵרי ַמ ְשִׂכּיתוֹ [bechadrei maskito] poderia significar as câmaras onde eles guardavam seu ídolos ou as câmaras de sua própria imaginação, ou seja, seu coração. Seja como for, os anciãos e os líderes haviam se afastado tanto do Eterno que diziam que Ele não via o que eles estavam fazendo, e que D’us os havia abandonado. Era outra maneira de dizer: “o Eterno não Se importa com estas coisas; elas não são importantes.”

Bem ali, no recinto sagrado do templo de D’us, aquelas pessoas se envolviam na mais perversa avodah zarah, fazendo tudo que D’us lhes havia proibido especificamente de fazer. E ainda justificavam mentalmente seus atos. Aqui vemos novamente o que Sha’ul queria dizer quando falou sobre os que adoravam a criatura em lugar do Criador (Romanos 1:22-25).

Estudo Diário

Leitura Chumash parashat Vayêshev, 1ª Alyá (Genesis 37:1-37:11) Tehilim 83-87; Leitura Reavivados por Sua Palavra: B’midbar 24 Leitura Anual: 2 Coríntios 11–13

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s