Setenta Anos


As profecias de Yirmeyahu deviam ter duplo efeito sobre o pensamento dos cativos: por um lado, eles não deviam crer no que os falsos profetas estavam dizendo; por outro, não deviam ficar desanimados. Ele pediu a seus compatriotas cativos que orassem por Bavel. Essa solicitação talvez tenha deixado surpresos os que haviam sido deportados. O que Yirmeyahu estava pedindo dos cativos nunca tinha sido ouvido na história de Yisra’el. Era algo absolutamente desconhecido orar por um inimigo que havia feito o que os babilônicos tinham executado contra eles, a nação escolhida de D’us. O profeta rompeu com todos os conceitos deles sobre o templo e sobre Yerushalayim. Eles podiam orar num país pagão, e o D’us Eterno os ouviria. Além disso, o profeta disse em Yirmeyahu 29:7 que a prosperidade da nação “anfitriã” deles significava a prosperidade deles também. Como estrangeiros e peregrinos naquela terra, eles estariam em situação especialmente vulnerável se as coisas fossem mal para a nação em geral. Ao longo de toda a História, temos visto tristes exemplos de que a intolerância se torna especialmente mais severa quando uma nação enfrenta tempos difíceis. As pessoas procuram alguém a quem possam culpar, e as minorias, ou os estrangeiros, logo se tornam alvos fáceis. Essa é uma triste realidade.
8. Que maravilhosa esperança foi dada aos exilados em Yirmeyahu 29:10? Ver também Yirmeyahu 25:11, 12; Divrei-HaYamim Bet 36:21; Dani’el 9:2
Tudo o que o Eterno tinha dito que aconteceria havia acontecido; portanto, eles tinham todas as razões para crer que Ele cumpriria também essa profecia (Yirmeyahu 29:10). Não sabemos por que 70 anos seriam o tempo exato de seu exílio, embora ele esteja claramente ligado à ideia do Shabat de descanso para a terra (Vaykrá 25:4; 26:34, 43). O que é tão importante com respeito a essa profecia é que, se eles a tivessem aceitado em confiança e submissão, ela teria dado aos cativos grande esperança e certeza da completa soberania de D’us.

Babilônia II

A despeito das aparências, a despeito da terrível calamidade que lhes sobreviera, eles podiam saber que nem tudo estava perdido e que o Eterno não os havia abandonado. Eles ainda eram o povo da aliança, e o Eterno ainda não havia desistido deles nem da nação de Yisra’el. A redenção estava à disposição de todos os que estivessem dispostos a cumprir as condições. Que profecias lhe dão esperança para o futuro? Quais delas fortalecem sua emunah e o ajudam a confiar no Eterno, diante do que possa acontecer?
Estudo Diário
Leitura Chumash parashat Vayêshev, 5ª Alyá (Genesis 39:1-39:6) Tehilim 104-105; Leitura RpSp: B’midbar 28 Leitura Anual: Efésios 4–6

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s