Palavras de desafio


Hizkiyah era o rei de Y’hudah quando a nova superpotência, a Assíria, conquistou Israel, o reino do norte, e espalhou seus habitantes por toda a Mesopotâmia (M’lakhim Bet [2rs] 18:9-12). “Aquilo que [D’us] não mais podia fazer por intermédio deles na terra de seus pais, procuraria realizar espalhando-os entre os pagãos. Seu plano para a salvação [Gueulá] de todo aquele que escolhesse se beneficiar do perdão mediante o Salvador da humanidade ainda devia ser cumprido. E nas aflições levadas a Israel, Ele estava preparando o caminho para que Sua glória fosse revelada às nações da Terra” (profetas e reis, p. 292 contextualizado).

Alguns anos mais tarde, o rei assírio Sancheriv [Senaqueribe] voltou sua atenção para Y’hudah, conquistou todas as suas cidades fortificadas e impôs um pesado tributo (M’lakhim Bet [2rs] 18:13-15). Embora Hizkiyah tivesse esvaziado os tesouros do templo e do palácio, o rei assírio não ficou satisfeito e enviou oficiais para negociar a rendição de Yerushalayim. Os assírios, então, zombaram do povo dizendo que, uma vez que os deuses das nações ao redor não as tinham salvado da Assíria, o que fazia os judeus pensarem que seu D’us Se sairia melhor? (Ver M’lakhim Bet [2rs] 18:28-30, 33-35.) Hizkiyah, então, fez a única coisa que lhe era possível fazer: orou (M’lakhim Bet [2rs] 19:15-19). Antes, D’us já havia usado Yesha’yahu [Is] para encorajar Hizkiyah (M’lakhim Bet [2rs] 19:6), e agora Ele enviou o profeta novamente ao rei.
3. Leia M’lakhim Bet [2rs] 19:21-34, especialmente os versos 21 e 22. Qual é a mensagem de D’us para Seu povo em meio à terrível crise?

Assiria

O resultado de tudo isso foi visto quando o imenso exército assírio se acampou ao redor dos muros de Yerushalayim. Os assustados habitantes da cidade sitiada, ao se levantarem certa manhã, não viram os atos finais de um exército conquistador que estava prestes a vencer as defesas da cidade, mas souberam que milhares de soldados foram espalhados pelo chão, numa quietude mortal, até onde a vista podia alcançar (M’lakhim Bet [2rs] 19:35). O infeliz rei assírio voltou para casa, onde encontrou seu fim nas mãos de dois de seus próprios filhos (M’lakhim Bet [2rs] 19:36, 37).
Como aprender a confiar no Eterno em meio as situações desanimadoras e aparentemente impossíveis? Por que sempre precisamos olhar para o quadro mais amplo, especialmente quando as coisas não parecem tão positivas?

Estudo Diário

Leitura Chumash parashat Yitrô, 3ª Alyá (Shemot [Êx] 18:24-18:27) Tehilim 79-82; Leitura reavivados por Sua Palavra: Y’hoshua [Js] 12 Leitura Anual: Shemot [Êx] 28, 29

Anúncios