“MULHERES DO MURO” RECUSAM ACORDO PLURALISTA


 

O ramo original das Mulheres do Muro, contrabandearam um rolo da Torá na seção do Muro Ocidental das mulheres, para um serviço de oração diária e foram submetidas a assédio físico e verbal por outros fiéis no local, homens e mulheres. O WOW rejeitou publicamente o acordo feito entre o governo e as denominações judaicas não-ortodoxas , juntamente com as Mulheres do Muro, no mês passado, e disse que vai continuar a rezar na seção da atual Praça do Muro Ocidental das mulheres, independentemente do acordo. Cerca de 20 mulheres do grupo realizou um culto de oração, nesta segunda-feira de manhã, tendo discretamente trazido um pequeno rolo da Torá ao local. Regulamentos em vigor no Muro Ocidental proíbem trazer um rolo de Torá privada para a área. Após a conclusão da leitura da Torá do dia, as fiéis do WOW foram sujeitas a ataques verbais e maldições, enquanto duas mulheres empurraram fisicamente algumas das participantes da ora ção e agarrou-lhes pelos braços.  Da seção dos homens também gritaram para as mulheres através da divisória, chamando as participantes do WOW de “não-judias” que cometem atos de sacrilégios. Vários policiais chegaram à seção de oração para restaurar a ordem, removendo as mulheres que assediaram as fiéis do WOW. “Nós fomos empurradas e atiradas por mulheres gritando na sequência de uma bela leitura da Torá”, disse a Profa. Shulamit Magnus, uma membra proeminente da WOW. “Infelizmente, estamos acostumadas a ter vaias, assobios, gritos e maldições da seção dos homens. Mas este ataque físico em nossos corpos, por outras mulheres foi chocante. Felizmente, a polícia chegou e, após os procedimentos legais, removeu as mulheres que estavam perturbando a paz, o que nos permitiu completar o nosso serviço. A polícia também ficou nas proximidades enquanto nós nos dispersávamos do Kotel, garantindo que não fossemos atacadas na praça. ” Magnus agradeceu à polícia por intervir e proteger o serviço de oração. A rejeição pelas WOW do recente acordo para criar uma área pluralista poderia complicar a sua aplicação. Em 2013, o Tribunal do Distrito de Jerusalém decidiu que mulheres do WOW devem ser autorizadas a orar de acordo com seus próprios costumes e não estar sujeitas a prisão por usar xales de oração e tefilin, como tinham sido anteriormente.

www.ruajudaica.com

Anúncios