2 – Definindo interpretação interbíblica


O leitor da B’rit Hadashah deve estar aprofundado na Bíblia Hebraica a fim de compreender seus vários temas. Ler a Bíblia intertextualmente é fundamental visto que a exegese intertextual (ou interbíblica) é o engaste de fragmentos, imagens e ecos de um texto dentro de outro. Autores bíblicos posteriores demonstraram seu amor e fidelidade à sua tradição, por remodelar estrategicamente um subtexto escriturístico. Muito mais do que simples citação, a exegese interbíblica representa uma forte postura profética e poética, às vezes estendendo um subtexto aos próprios limites de seu possível horizonte de significado.[1]

                A interpretação interbíblica é muito importante para habilitar-nos a compreender a unidade orgânica de toda a Bíblia, e a interpretar corretamente suas várias seções.

Herança Judaica

                A matéria de estudo da B’rit Hadasha/Novo Testamento é moldada em diálogo com a Bíblia Hebraica. A B’rit Hadashah, por sua vez, também é moldada por diálogo com o judaísmo do primeiro século. Isto é obvio da própria B’rit Hadashah, no qual são registrados os numerosos conflitos entre Yeshua e seus discípulos com as várias escolas judaicas de pensamento.

                Além disso, o exame do material da B’rit Hadashah revela que muitas das palavras teologicamente significativas do B’rit Hadashah estão enraizadas na Bíblia Hebraica. Palavras conhecidas tais como “Jesus”, “Cristo”, “evangelho”, “aliança”, “salvação”, “templo”, “sacerdote”, “expiação”, “justificação”, ou mesmo palavras hebraicas tais como “amém” e “aleluia”, exigem uma consideração de sua base na Bíblia Hebraica. As genealogias da B’rit Hadashah são indisputáveis convites ao leitor para considerar os antecedentes no Tanach da B’rit Hadashah. Ademais, essas genealogias são em si mesmos exemplos de interpretação interbíblica. A seleção de nomes nos evangelhos de Mateus/Mattityahu e de Lucas são interpretações de material da Bíblia Hebraica. Elas testificam que D’us está dirigindo a história para sua pretendida finalidade.

 

Dr. Ganoune Diop

[1] Robert B. Sloan Jr. E Carey C. Newman, “Ancient Jewish Hermeneutics”, in Biblica Hermeneutcs: A Comprehensive Introduction to Interpreting Scriputre, eds. Bruce Corley, Steve W. Lemke e Grant I. Lovejoy, 2ª ed. (Nashville, TN: Broadman & Holman, 2002), p. 58-59.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s