6 – A Tipologia como uma Chave Hermenêutica


 

A tipologia desempenha uma importante função no uso da Bíblia Hebraica por Yeshua e pelos escritores da B’rit Hadashah. A palavra tipo deriva do verbo TYPTÕ (desferir, imprimir em), significa a marca de um golpe, a impressão ou estampa deixada por uma batida, a estampa feita por um dado, a forma o modelo, o exemplo, o padrão ou protótipo. O uso da tipologia mostra a correspondência e a continuidade ente os dois volumes. A relação entre um tipo e um antítipo envolve uma correspondência entre um elemento e o seu correlativo, que é mais do que uma semelhança. Os tipos têm realidade histórica, eles podem ser produtivos. O antítipo geralmente é maior do que o tipo. A tipologia não é acidental; é designada por D’us para mostrar a unidade de linguagem e de pensamento ao longo da história da salvação (yeshuah).

TIPOLOGIA

                Com base no fato de que a tipologia é histórica e envolve uma real correspondência, a seguinte definição é apropriada:

“Um tipo é um evento bíblico, pessoa ou instituição que serve como exemplo ou modelo para outros eventos, pessoas ou instituições: tipologia é o estudo de tipos e as correspondências históricas e teológicas entre eles; a base da tipologia é a coerente atividade de D’us na história povos ou instituições; tipologia é o estudo de tipos e as correspondências históricas e teológicas entre eles; a base da tipologia é a coerente atividade de D’us na história do seu povo escolhido.[1] A presença de correspondências entre eventos bíblicos, povos ou instituições coloca diante do intérprete o fenômeno da intertextualidade e exegese interbíblica. A leitura da Bíblica intertextualmente contém um elemento tipológico inerente.

Dr. Ganoune Diop

[1] David L. Bacher, Two Testaments, One Bible: A Study of the Theological Relationship Between the Old and New T estaments (Downers, Glove, IL: InterVarsity Press, 1991), p. 195

Anúncios