Tocando o intocável


Após a derashá do Monte, no qual descreveu os princípios do reino de D’us,
Yeshua Se defrontou novamente com o reino de hasatan, um lugar frio e
escuro, cheio de pessoas em decadência, gemendo em busca de libertação
(yeshuah’ ( יְשׁוּעָה ), um lugar cujos princípios são frequentemente contrários a
tudo o que Yeshua defende. Naquela época, um dos maiores exemplos do quanto
o reino de hasatan havia se tornado miserável e caído podia ser visto na tzaraat.
Embora ocasionalmente usada como uma forma de punição divina, como
no caso de Mirian (Bamidbar [Nm] 12:9-12), no contexto mais amplo da Bíblia
a tzaraat é um exemplo forte e horripilante do que significa, exatamente, viver
neste mundo caído e arruinado.
1. Leia Mattityahu [Mt] 8:1-4. Que importância tem o fato de que, ao curar
o homem afligido com tzaraat, Yeshua o tocou (ver, por exemplo, Vayikrá [Lv]
13:44-50)?
O homem se ajoelhou diante de Yeshua e disse: “Senhor, se você quiser, pode
me purificar”. A palavra grega para “podes” é δυ􀕪 νασαι (dunamai), de onde vem
nossa palavra “dinamite”. Significa estar cheio de poder. “Se quiseres, estás
cheio de poder e podes transformar minha vida.” Yeshua disse que estava disposto
a curar o homem, e o curou imediatamente.
O fato de que Yeshua o tocou deve ter causado arrepios nas multidões que
viram a cena. Certamente, como fez em outras ocasiões (por exemplo, na cura
registrada a seguir), Yeshua poderia simplesmente ter dito uma palavra, e o homem
teria refuá Shlemá. Então, por que Ele o tocou?

Leproso

“A obra do Mashiach em purificar o afligido com Tzaraat de sua terrível doença
é uma ilustração de Sua obra em libertar do pecado. O homem que foi a
Yeshua estava cheio de tzaraat. O mortal veneno da moléstia havia penetrado
em todo o seu corpo. Os talmidim procuraram impedir o Rabbi de o tocar, pois
aquele que tocava numa pessoa com tzaraat se tornava imundo. Pondo a mão
sobre o doente, porém, Yeshua não sofreu nenhuma contaminação. Seu contato
comunicou poder vitalizante. A tzaraat foi purificada. O mesmo se dá quanto à
tzaraat do pecado, profundamente arraigada, mortal e impossível de ser purificada
pelo poder humano” (O Desejado de Todas as Nações, p. 266 contextualizado).
Talvez, ao tocar o homem, Yeshua tivesse mostrado que, não importa a gravidade
do pecado, Ele Se achegará àqueles que estiverem dispostos a ser perdoados,
curados e purificados.
De que fotma o exemplo de Yeshua o ajuda a entender como o mal da Tzaraat é
danosa e que nossas atitudes críticas, Lashon Hará, que afastam as pessoas de nós,
estão diretamente ligadas a esse mal?

ESTUDO DIÁRIO
Tehilim [Sl] 49-54
Leitura Anual: Malakhim Alef [1Rs] 15 e 16
RPSP: Shmuel Bet [2Sm] 14

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s