A grandeza do perdão


Uma das piores consequências da queda é vista nas relações interpessoais. Desde
o ato de Adam ao tentar culpar Havah por seu pecado (Bereshit [Gn] 3:12)
até este momento, aqui na Terra, a humanidade tem sido devastada e degradada
pelos confl itos entre as pessoas. Infelizmente, os confl itos não estão apenas no
meio secular, mas na Kehilá também.
2. Leia Mattityahu [Mt] 18:15-35. O que Yeshua nos ensina nesse texto? Por que
muitas vezes não seguimos o que ele nos disse?
Vamos admitir: é mais fácil reclamar de alguém pelas costas do que ir diretamente
à pessoa e tratar da questão. E é precisamente por esse motivo que não queremos
fazê-lo, apesar do Eterno nos ordenar que o façamos. Mas Yeshua nos ensina
a ir diretamente à pessoa que nos magoou e tentar restaurar o relacionamento. Se
a pessoa não for receptiva, então há instruções adicionais.
“Porque sempre que dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali eu estou
com eles”(Mattityahu [Mt] 18:20). Veja o contexto aqui: trata da disciplina e a
restauração de outra pessoa. Temos a tendência de aplicar esse verso de maneira
mais ampla. Yeshua diz que o Ruach HaKodesh se faz presente quando um pequeno grupo de pessoas está tentando restaurar um crente. Essa é a bela obra da redenção. E ela começa quando fazemos humildemente a coisa certa e conversamos diretamente
com quem nos magoou. Esse ato seria também outro exemplo de grandeza da parte
daqueles que o praticam.
3. Leia Mattityahu [Mt] 18:21-35. Que ideia fundamental Yeshua estava presentando?
Quando Yeshua diz que devemos perdoar “até setenta vezes sete [vezes]”, o que
Ele realmente está dizendo é que nunca devemos deixar de perdoar alguém. Yeshua
está falando sério a respeito da necessidade de perdão, não só para o benefício dos
outros, mas para o nosso próprio. Veja quão forte é a parábola [mashal] que Ele contou
para demonstrar Seu conceito. Podemos ser perdoados por muitas coisas, e é
disso que HaBessorá trata, isto é, do perdão (ver Shemot [Êx] 32:32; Atos 5:31; Colossenses [Cl] 1:14), mas se não perdoarmos os outros assim como fomos perdoados
por D’us, podemos enfrentar sérias consequências.

Perdão.gif

Uma lição importante que o Tanach nos ensina, em especial a Torah, é que “sem derramamento de sangue não há remissão de pecados”:

“Quando algum de vós oferecer sacrifico ao Eterno, fareis vosso sacrifício de animal do gado e do rebanho…macho sem defeito…e porá a mão sobre a cabeça da oferta de elevação, e esta será aceita para servir-lhe de expiação…” Vaicrá/Levítico 01:02-04, Sêfer. 

Este conceito é repetido em Isaías/Ieshaiáhu 53:06 e 07. 

“…fez o Eterno recair a iniquidade de todos nós…como ovelha que fica muda ante seus tosquiadores não abriu a sua boca…”

Leia no Tanach Daniel 09:24 a 26, e reflita, se o Eterno fez isso por nós, porque foi
necessário para nos perdoar, como podemos aprendera perdoar os outros, não importando quão impossível esse perdão pareça agora?

 

Beth Midrash

Anúncios