Grupo de arqueólogos israelenses consegue restaurar o piso do pátio do Segundo Templo de Jerusalém


Arqueólogos do Projeto de Peneiramento do Monte do Templo, baseado em Jerusalém, estão confiantes de que restauraram com sucesso um elemento arquitetônico único do Segundo Templo: uma série de ladrilhos regiamente decorados que adornavam os pórticos no topo do Monte do Templo e que, provavelmente, eram destaque nos pátios do Segundo Templo durante o período em que o Rei Herodes governou Jerusalém (37 AC a 4 AC).

“Isso nos permite ter uma ideia do incrível esplendor do Templo’’, diz o Dr. Gabriel Barkay, cofundador e diretor do Projeto de Peneiramento do Monte do Templo. Os ladrilhos restaurados serão apresentados ao público em geral no dia 8 de setembro, na Conferência Anual de Arqueologia da Cidade de Davi.

“Isso representa a primeira vez que arqueologistas conseguem, com sucesso, restaurar um elemento do complexo do Segundo Templo de Herodes”, afirma Zachi Dvira, também cofundador do projeto.

O Projeto de Peneiramento do Monte do Templo foi criado em resposta à retirada ilegal de toneladas de terra rica em antiguidades do Monte do Templo pela Waqf Islâmica, em 1999. O sítio está localizado no Parque Nacional do Vale do Tzurim e é apoiado pela Fundação Cidade de Davi e pela Fundação de Arqueologia de Israel. A iniciativa é executada sob os auspícios da Universidade Bar-Ilan e da Autoridade de Parques e Natureza de Israel.

Frankie Snyder, uma integrante da equipe de investigadores do projeto e especialista no estudo de piso antigo da era de Herodes, conseguiu restaurar os padrões ornados dos ladrilhos “usando princípios geométricos e através das semelhanças encontradas no design do azulejo usado poe Herodes em outros sítios”, diz Snyder, que tem uma formação acadêmica em matemática e estudos judaicos. “Esse tipo de piso, chamado de ‘opus sectile’, palavras em latim para ‘obra cortada’, é muito caro e foi considerado muito mais prestigioso do que os pisos de azulejos mosaicos”.

http://www.cityofdavid.org.il/sites/default/files/faranki.jpg
A especialista Frankie Snyder mostra a descoberta
(Crédito: Zachi Davira, Projeto de Peneiramento do Monte do Templo)

“Até agora, conseguimos restaurar sete potenciais desenhos do majestoso piso que decorava o Monte do Templo”, diz Snyder, explicando que não havia ‘opus sectile’ em Israel antes da época do Rei Herodes. “Os segmentos do azulejo foram incrustrados tão perfeitamente que não dá para insertar uma lâmina afiada entre eles”.

Até o momento, aproximadamente 600 segmentos do coloridos pisos de pedra foram descobertos, com mais de 100 deles datados definitivamente como sendo do período do Segundo Templo de Herodes.

O estilo do piso é consistente com os encontrados nos palácios de Herodes em Massada, no Herodion e em Jericó, entre outros, bem como em palácios majestosos e vilas na Itália, também atribuídos à época de Herodes.

Os segmentos de ladrilhos, em sua maioria importados de Roma, da Ásia Menor, da Tunísia e do Egito, foram criados de pedras polidas multicoloridas cortadas numa variedade de formas geométricas. Uma característica dos azulejos de Herodes é seu tamanho, que corresponde ao pé romano, aproximadamente 29,6 cm.

http://www.cityofdavid.org.il/sites/default/files/Herodian-Opus-Collection-c.jpg
 (Crédito: Zachi Davira, do Projeto de Peneiramento do Monte do Templo)

A possibilidade de que grandes partes do Monte do Templo, durante o Segundo Templo, tenham sido cobertas por piso ‘opus sectile’ foi levantada, primeiramente em 2007 pelo arqueologista Assaf Avraham, diretor do Parque Nacional Jerusalem Walls e da Autoridade de Parques e Natureza de Israel.

A teoria de Avraham foi baseada na descrição dada pelo historiador romano-judeu Flávio Josefo (século I DC), que escreveu: “…a parte descoberta (do pátio do Monte do Templo) era completamente pavimentada por pedras de vários tipos e cores…” (A Guerra Judaica 5:2). Além disso, a literatura talmúdica registra a magnífica construção do Monte do Templo, descrevendo fileiras de mármore em cores diferentes – verde, azul e branco”.

“Agora, como resultado das habilidades matemáticas de Frankie Snyder, conseguimos recriar os padrões dos ladrilhos reais. Isto representa a primeira vez que podemos ver com nossos próprios olhos o esplendor do piso que decorou o Segundo Templo e os seus anexos 2.000 anos atrás “, declara o Dr. Gabriel Barkay.

Referindo-se ao Templo que Herodes construiu, o Talmud diz: “Quem não viu edifício de Herodes, não viu um belo edifício em sua vida”.

“Apesar de não termos tido o prazer de ver o Templo em seus dias de glória, com a descoberta e recuperação desses pisos originais agora somos capazes de ter uma compreensão mais profunda do Segundo Templo, mesmo que seja apenas através desta característica distintiva”, continua Barkay.

Desde a criação do Projeto de Peneiramento do Monte do Templo, em 2004, mais de 200 mil voluntários de todo o mundo fizeram parte da iniciativa, representando um fenômeno sem precedentes no campo da pesquisa arqueológica.

* www.cityofdavid.org.il

www.ruajudaica.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s