A dor dos outros


Iyov concluiu seu primeiro lamento, conforme registrado no capítulo 3. Nos dois
capítulos seguintes, um de seus amigos, Eliphaz, pregou-lhe um sermão e o repreendeu
(voltaremos a esse tema na semana que vem). Nos capítulos 6 e 7, Iyov
continuou falando de seu sofrimento.
4. “Ah, se minhas queixas fossem postas num dos pratos de uma balança, em que no
outro estivessem as desgraças que me atingem! Sei que pesariam mais que as areias
do mar.” (Iyov [Jó] 6:2, 3). Como Iyov expressou sua dor?
Essa imagem nos dá uma ideia de como Iyov enxergava seu sofrimento. Se toda a areia
do mar estivesse em um lado da balança e sua “dor” e a “calamidade” no outro, os seus
sofrimentos excederiam o peso de toda a areia.
O sofrimento de Iyov era muito real para ele. Esse sofrimento era apenas dele e de
ninguém mais. Às vezes ouvimos falar do conceito da “soma do sofrimento humano”.
Porém, isso não expressa bem a verdade. Não sofremos em grupos. Não sofremos a dor
de ninguém, apenas a nossa própria. Conhecemos somente nossa dor, nosso sofrimento.
A dor de Iyov, por maior que tenha sido, não foi maior do que a dor que outras pessoas poderiam sofrer. Algumas pessoas bem-intencionadas poderiam dizer a alguém: “Eu sinto sua dor”. Não sentem; elas não podem sentir. Tudo o que podem experimentar é a própria dor, que pode vir em resposta ao sofrimento de outra pessoa. Mas é sempre e somente isso, a dor própria, não a de outra pessoa.

sepultamento 2.jpg

Ouvimos falar em desastres provocados pelo próprio ser humano ou por outras causas,
com alto número de mortes. O número de mortos ou de feridos nos choca. Mal podemos
imaginar um sofrimento de tamanha proporção. Mas no caso de Iyov, e também de toda a humanidade caída desde Adam e Havah até o fim deste mundo, todos os seres caídos que já viveram puderam conhecer somente seu próprio sofrimento e não mais que isso.
É evidente que jamais devemos menosprezar o sofrimento individual, pois somos
chamados a aliviar o sofrimento quando e onde pudermos (veja Yaakov [Tg]
1:27; Mattityahu [Mt] 25:34-40). Entretanto, não importa quanto sofrimento exista
no mundo, podemos ser gratos pelo fato de que nenhum ser humano sofre mais do
que pode suportar. Há somente uma exceção, como veremos na lição 12.
Reflita sobre a ideia de que o sofrimento humano está limitado apenas a cada indivíduo. Isso pode lhe ajudar a enxergar o problema do sofrimento em uma perspectiva diferente?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s