“Nunca compreenderemos a verdade e a realidade”


2. Leia Iyov [Jó] 11:7-9 e Yeshayahu [Is] 40:12-14. Que verdade é expressa nesses
versos? Por que devemos sempre nos lembrar dela?
Há muita coisa sobre o Eterno que não conhecemos e, apesar de todos os nossos
esforços para perscrutá-Lo por nós mesmos, ainda continuaremos conhecendo bem
pouco. Um dos filósofos mais famosos do século 20, o falecido Richard Rorty, basicamente argumentou que nunca compreenderemos a realidade e a verdade, e que,
portanto, devemos desistir de tentar entendê-las. Em vez de tentar compreender
a realidade, argumentou Rorty, tudo o que podemos fazer é tentar lutar com ela. É
impressionante que 2.600 anos de tradição filosófica ocidental culmine nessa expressão de derrota. Se toda a nossa busca e investigação tem nos deixado nas trevas
quanto à natureza da realidade em que vivemos, será que poderemos, mediante o
estudo, compreender o Criador – Aquele que, primeiramente, criou a realidade, e por
isso é muito maior do que ela? Rorty essencialmente confirmou o que acabamos de
ler no discurso de Tzofar, como parte de um argumento errôneo contra Iyov.

richard-rorty-filosofo-existencialista

 
3. Leia Iyov [Jó] 11:1-20. O que está correto na fala de Tzofar? O que há de errado
com o seu argumento?
É muito difícil entender como alguém pôde ir até um homem que estava sofrendo
como Iyov e dizer a ele, basicamente: “Você está recebendo o que merece. Não,
na verdade, você está recebendo menos do que merece.” O pior é que Tzofar estava
fazendo isso, assim como os outros dois amigos, numa tentativa de defender a bondade
e o caráter do Eterno.

Anúncios