As Línguas Semiticas


A língua hebraica pertence ao grupo das línguas semíticas surgidas no Oriente Médio desde o segundo milênio antes da era cristã e que desempenharam importante papel no desenvolvimento histórico e cultural das civilizações dessa região geográfica. Em termos geográficos, as línguas semíticas são encontradas ao longo de vasta região do Oriente Médio, se estendendo desde a Mesopotâmia, no lado nordeste, até a Arábia e a Etiópia, no lado sulista, incluindo a região siro-palestina, no lado noroeste. A nominação “línguas semíticas”, que foi criada por August S. Schlözer, tem sido usada para designar as línguas surgi-das na região do Oriente Médio durante o segundo milênio antes da era cristã. Esta designação é registrada no volume VIII do Reportorium für biblische und morgenländische Literatur, editada por Johann G. Eichhorn (Leipzig, 1781). Tal denominação possui relação com o personagem Sem (cf. Gn 10.21-31), um dos filhos de Noé, e que teria sido o ancestral dos povos de origem semita. Atualmente, os estudiosos reconhecem como semíticas cerca de 70 línguas ou dialetos que possuem vários detalhes em comum entre si como a morfologia, a fonologia, a sintaxe e o vocabulário. Desde muitos anos, as línguas semíticas foram e continuam sendo objeto de estudos e debates entre diversos linguistas, alguns dos quais as classificam nos grupos que são mostrados no quadro abaixo.

noe-8
Grupo nordeste (norte-oriental): acádico, assírio e babilônico.

Grupo noroeste (norte-ocidental): hebraico, hebraico samaritano, aramaico, siríaco, ugarítico, fenício, canaanita, moabita, edomita, púnico e nabateu.

Grupo sudoeste: árabe, etíope, sabeu e mineu. 

Todas são escritas da direita para a esquerda, exceto o acádico e o etíope que são escritos da esquerda para a direita.
Os sistemas alfabéticos empregados são consonantais e somente tardiamente surgiram os sinais para representarem fonemas vocálicos.
Todas possuem preferência por raízes verbais tricosonantais (três letras consoantes).
Existem várias conjugações verbais: o árabe, o acádico e o etíope possuem mais de 12 conjugações, enquanto o hebraico e o aramaico possuem sete.

sete

Algumas línguas semíticas desapareceram há muitos séculos, como o acádico, o ugarítico, o fenício, o moabita, o assírio e o babilônico, enquanto outras são faladas, ainda, por pequenas populações do Oriente Médio: o aramaico falado por cerca de 300 mil pessoas e o hebraico samaritano por algumas centenas (cerca de 300 pessoas). Outros idiomas semíticos tornaram-se línguas litúrgicas como o siríaco e o etíope, que são usadas por comunidades cristãs orientais (siríaco pelos cristãos nestorianos e jacobitas e etíope pelos cristãos etíopes) e o hebraico samaritano que é utilizado pelos samaritanos. O árabe é a língua semítica mais falada hoje em dia por cerca de 150 milhões de falantes. O hebraico, depois de ressurgido desde o século 16 e como língua falada desde o século 20, é hoje usado por cerca de mais de seis milhões de pessoas no moderno Estado de Israel.

Autor: Edson de Faria Francisco. abril de 2014, http://bibliahebraica.com.br/.

Anúncios