Perseguidor


Shaul aparece pela primeira vez em Atos como um dos envolvidos no apedrejamento de Estevão (At 7:58) e, em seguida, em conexão com a ampla perseguição que irrompeu em Jerusalém (At 8:1-5). Kefa (Pedro), Estevão, Filipe e Shaul desempenharam papel significativo no livro de Atos, pois estiveram envolvidos nos episódios que levaram à propagação das ensinos do Mashiach para além do mundo judaico. Estevão é especialmente importante porque seus ensinos e morte parecem ter exercido influência profunda sobre Shaul.
Estevão, um judeu que falava o idioma grego, era um dos sete Shamashim (At 6:3-6).
De acordo com Atos, alguns judeus estrangeiros que foram morar em Jerusalém (At 6:9) entraram em discussão com Estevão acerca do que ele ensinava sobre Yeshua. É possível, talvez até provável, que rabi Shaul de Tarso estivesse envolvido nesses debates.

Estevam
1. Leia Atos 6:9-15. Quais foram as acusações apresentadas contra Estevão?
A hostilidade feroz para com os ensinos de Estevão parece ter resultado de duas coisas diferentes. Por um lado, Estevão atraiu a ira de seus adversários por não dar importância primária à Halachá e ao Templo, que haviam se tornado o foco do judaísmo e eram símbolos preciosos da identidade religiosa e nacional. Mas Estevão fez mais do que simplesmente tornar secundário esses dois valiosos ícones; ele proclamou vigorosamente que Yeshua, o Mashiach morto e ressurreto, era o verdadeiro centro da fé judaica.
Portanto, não é de admirar que ele tivesse irritado o Shaul (Fp 3:3-6), cujo zelo contra os seguidores de Yeshua indica que ele provavelmente pertencesse a uma ala zelosa e militante dos prushim (fariseus), cheia de fervor revolucionário. Shaul entendia que as grandes promessas proféticas do reino de D’us ainda não tinham se cumprido (Dn 2; Zc 8:23; Is 40–55).
Ele provavelmente acreditava que era sua tarefa ajudar D’us a tornar aquele dia uma realidade, o que se poderia fazer purificando Israel da corrupção religiosa e da ideia de que esse Yeshua era o Mashiach.
Convencido de que estava certo, Shaul estava disposto a matar os que considerava errados. Embora precisemos ter zelo e fervor pelo que cremos, como temperar nosso zelo com a compreensão de que, às vezes, podemos estar equivocados?

Anúncios