A Origem da Bessorá de Shaul


7. Os perturbadores da Galácia alegaram que a bessorá de Shaul era dirigida por seu desejo de obter a aprovação dos outros. Em sua carta, o que Shaul poderia ter feito de maneira diferente, se estivesse apenas buscando a aprovação dos homens? Gl 1:6-9, 11-24.

Por que Shaul não exigiu que os goyim convertidos fossem circuncidados? Seus oponentes alegaram que isso ocorreu porque ele queria conversões a qualquer custo.
Talvez eles tivessem pensado que, pelo fato de Shaul saber que os goyim teriam restrições em relação à b’rit milá, ele não exigiu isso. Insinuaram que ele gostava de agradar o povo! Em resposta a tais alegações, Shaul apresentou a seus oponentes as fortes palavras de Gálatas 1:8, 9. Se tudo o que ele quisesse fosse aprovação, certamente teria respondido de outra forma.
8. Para Shaul, por que é impossível ser seguidor do Mashiach e, ao mesmo tempo,
querer agradar as pessoas?
9. Em Gálatas 1:11, 12, Shaul disse que havia recebido sua bessorá e autoridade diretamente do Eterno. Quais são os argumentos apresentados nos versos 13-24 para provar esse conceito?

Paulo na estrada

Os versos 13-24 trazem um relato autobiográfico da situação de Shaul antes da teshuvá (v. 13, 14), na conversão (v. 15, 16) e posteriormente (v. 16-24). Shaul afirmou que as circunstâncias que envolveram cada um desses acontecimentos tornaram absolutamente impossível que qualquer pessoa afirmasse que ele havia recebido as “boas novas” (bessorá) de ninguém, a não ser do Eterno. Shaul não ficaria indiferente, permitindo que alguém depreciasse sua mensagem, questionando seu chamado. Ele sabia o que lhe havia acontecido,
o que havia sido chamado a ensinar, e faria isso, não importando o que custasse.
Você tem certeza do chamado no Mashiach? Como saber se o Eterno lhe chamou para fazer? Ao mesmo tempo, mesmo que esteja certo da sua vocação, por que você deve ouvir o conselho dos outros?

Anúncios