Qual foi a razão bíblica para a Festa da Lua Nova


A Bíblia não dá razões específicas para a observância das luas novas. Podemos sugerir algumas possibilidades depois de examinar os textos em que o papel da lua e da lua nova é discutido. No entanto, não temos espaço para analisar todos os dados bíblicos.

Festa da Lua Nova.jpg

1. Celebração da lua nova: este foi um dia especial de adoração durante o qual as pessoas se alegraram diante do Senhor (Os 2:11) e descansaram da sua obra (Amós 8: 5; Números 29: 1-3) ). As pessoas desfrutaram de uma refeição familiar festiva (1 Samuel 20: 5, 18) e aparentemente consultaram os profetas de Deus (2 Reis 4:23). Os sacrifícios, juntamente com oferendas de grãos e bebidas, foram oferecidos no Templo (Números 28: 11-15; 29: 2-5). Esperava-se que cada israelita participasse dessa celebração.

 
2. Motivação teológica: a instituição das festas da lua nova parece estar relacionada ao culto dos deuses da lua no antigo Oriente Próximo. As celebrações da nova lua honraram esses deuses e, em alguns lugares, foram realizadas todos os meses. Entre alguns cananeus, o dia mais importante (o dia da lua cheia) foi dedicado ao deus da lua. Supostamente, os deuses da lua possuíam conhecimento e o compartilhavam com seus adoradores. Eles agiram como juízes do céu e da terra, e foram considerados criadores da vida.
O Eterno proibiu a adoração dos deuses da lua aos israelitas (Deuteronômio 17: 3). Mas ele sabia que a lua era um impressionante corpo astral, e que seu povo tentaria adorá-lo (Deuteronômio 4:19). Portanto, Deus instituiu a celebração da lua nova em Israel. Este seria um dia de adoração ao Criador da Lua (ver Gênesis 1:16). Ele lembraria aos israelitas que Deus colocou a lua para reinar durante a noite (Salmo 136: 9) e para marcar as estações (Salmo 104: 9); que estabeleceu sua função sistemática (Jeremias 31:35); e que Deus, não a lua, é o juiz do mundo. Quando ele julga, a lua permanece inativa e perde seu brilho (Joel 3:12, 15). Além disso, a lua é incapaz de dar vida aos mortos (Jeremias 8: 1, 2) ou prejudicar os servos de Deus (Salmo 121: 6).

Lua Nova

Enquanto os deuses da lua reivindicavam o controle sobre o destino do povo, a celebração da lua nova em Israel lembrou o povo de Deus que era o Senhor que os abençoou, protegendo-os e atendendo às suas necessidades. A lua nova apresenta um fragmento de tempo sempre seguido pela experiência ou o anúncio de um novo começo. Foi durante a lua nova que Noé, após o dilúvio, viu o topo das montanhas (Gn 8: 5) e a terra seca (versículo 13). O Senhor estava restaurando a ordem para a Terra após um evento cataclísmico. Os israelitas chegaram ao Sinai numa lua nova e se tornaram o povo da aliança de Deus (Êxodo 19: 1). O Tabernáculo terminou em uma nova lua (Êxodo 40: 2, 17), iniciando assim um ministério sacerdotal que apontou para o Mashiach.
Enquanto os deuses da lua alegavam ser distribuidores de conhecimento, o Deus de Israel era o verdadeiro distribuidor do conhecimento. Isso pode explicar por que Deus deu as revelações dos profetas durante as novas luas e por que as pessoas as consultaram. Foi durante uma lua nova que o Senhor falou por Moisés pela primeira vez sobre o Tabernáculo da reunião (Números 1: 1). Ezequiel datou pelo menos quatro de suas revelações de Deus no primeiro dia do mês (Ezequiel 26: 1; 29:17; 31: 1; 32: 1, veja também Ageu 1: 1); Todas profecias contra os inimigos do povo de Deus. A celebração da lua nova serviu para desencorajar a adoração dos deuses lunares entre os israelitas.
3. O papel cultural da lua nova: a função principal dos festivais da lua nova teve que ver com o calendário; isto é, eles costumavam fixar o tempo para a celebração dos festivais israelitas. Por exemplo, a Páscoa foi comemorada no décimo quarto dia do mês (Êxodo 12:18), e a Festa dos Pães ázimos no dia quinze do mês (o dia da lua cheia). A festa das trombetas foi celebrada no primeiro dia do sétimo mês, seguida do dia da expiação no décimo dia e da festa dos tabernáculos no dia quinze do mesmo mês (Lev 23:24, 27, 34). A lua nova preparou os israelitas espiritualmente e psicologicamente para suas nomeações cultuais com o Senhor. Este parece ser outro motivo para o Senhor instituir sua observância.

Author:
Anúncios