A fascinação do materialismo – 5


O mundo publicitário é poderoso. As empresas gastam bilhões para expor imagens de seus produtos diante de nós. Elas quase sempre usam pessoas bonitas e atraentes para promover o que estão vendendo. Olhamos para o anúncio e nos vemos, não apenas com o produto, mas realmente como as pessoas daquele anúncio publicitário.

Consumismo

O materialismo não seria tão eficaz se não fosse pela sensualidade sutil (e às vezes
não tão sutil) embutida na propaganda. A sensualidade é a técnica publicitária mais poderosa, mas ela age como veneno para a maioria das pessoas que estão lutando contra os perigos do materialismo.
5. Leia Mattityahu 6. O que os olhos representam, de acordo com o pensamento e
ação determinada (Mt 6:22-24)?

A propaganda que associa sensualidade aos produtos pode se tornar uma ferramenta poderosa. Os varejistas vendem suas mercadorias criando entusiasmo na mente dos consumidores. A experiência é pura fantasia, mas funciona. Pode ser quase mística, levando as pessoas, ainda que brevemente, ao que parece ser outro domínio da existência.

Ela se torna uma falsa religião que não oferece nenhum conhecimento nem verdade espiritual, porém é tão atraente e sedutora que muitas pessoas não resistem a ela. Desejamos ter essa experiência e sentimos que a merecemos, então por que não a obter?
Somente o Eterno sabe as enormes quantias que foram e ainda serão gastas em coisas que os anunciantes nos convenceram de que precisamos.
6. “Minha mensagem é: vivam pelo Espírito; então vocês não farão nada do que a
velha natureza (Yetser Hará) deseja.” (Gl 5:16). Embora tendamos a pensar na “velha natureza” apenas em termos sexuais, em que outros aspectos estamos em perigo de satisfazer essa concupiscência?

Anúncios