A Aliança de Deus com os Homens


O conceito de aliança[i], pacto ou contrato, é pouco conhecido de muitos. Contudo, uma vida em comunidade baseada em alianças ou pactos constituía parte integrante das culturas antigas do Oriente Próximo.

            Dezenas de milhares de documentos descobertos pela arqueologia nas últimas décadas revelam um leque muito amplo de acordos legais entre indivíduos e nações. Já no século 18 a. C., essas alianças internacionais incluíam confirmações religiosas que envolviam a morte e o corte de animais.

            A expressão bíblica para firmar um pacto, aliança, era “cortar” uma aliança, do hebraico KARAT BERIT.

            Quando dois reis faziam um acordo de paz eles pegavam dois animais e o cortavam ao meio e diziam um ao outro:

            “Da mesma forma que este animal é retalhado, que eu também seja retalhado se não cumprir minhas obrigações e a minha parte neste tratado. ”

            Era um tipo de juramento religioso, aonde indivíduos, tribos, estados ou nações fechavam seus acordos.

profeta IIQuando lemos os escritos de Moisés entre os capítulos 19 a 24 vemos muitos paralelos com o padrão do Oriente Próximo ao se estabelecerem alianças.  Esses paralelos, correspondências e contrastes são naturais aos costumes da época, a Bíblia não foi escrita em vácuo sociocultural, mas, reflete os costumes legais do tempo e da cultura em que foi estabelecida.

            Portanto, o conceito de “aliança” é essencial para uma compressão das Escrituras como um todo, desde o Éden até o Messias e a restauração de todas as coisas.

Imago Dei.

וַיִּבְרָ֨א אֱלֹהִ֤ים ׀ אֶת־הָֽאָדָם֙ בְּצַלְמֹ֔ו בְּצֶ֥לֶם אֱלֹהִ֖ים בָּרָ֣א אֹתֹ֑ו זָכָ֥ר וּנְקֵבָ֖ה בָּרָ֥א אֹתָֽם׃

וַיְבָ֣רֶךְ אֹתָם֮ אֱלֹהִים֒ וַיֹּ֨אמֶר לָהֶ֜ם אֱלֹהִ֗ים פְּר֥וּ וּרְב֛וּ וּמִלְא֥וּ אֶת־הָאָ֖רֶץ וְכִבְשֻׁ֑הָ וּרְד֞וּ בִּדְגַ֤ת הַיָּם֙ וּבְעֹ֣וף 

הַשָּׁמַ֔יִם וּבְכָל־חַיָּ֖ה הָֽרֹמֶ֥שֶׂת עַל־הָאָֽרֶץ׃ (Hebrew OT: Westminster Leningrad Codex

            “Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra.”   Gênesis 1:27 e 28.

            A expressão “Imagem de Deus” inclui o domínio do Homem sobre os animais e, em estrutura familiar, homem e mulher, são a imagem de Deus.  Ícone (representação) do Governante Supremo, o Homem é o Senhor da Terra.

            Aos seres humanos foi concedido o privilégio de serem parceiros de Deus no cuidado do Planeta. Os seres humanos eram considerados responsáveis pela obediência ou desobediência que prestariam a Deus.

            Esta obrigação e responsabilidade paradisíacas são chamadas de a aliança da criação ou aliança “Edênica” pelos teólogos. Deus imediatamente colocou Adão numa relação de aliança consigo mesmo, uma aliança que envolvia um mandato claro e uma ordem destinada a prova-lo. (Gên. 1:28 e 2:15-17).

            A Imago Dei, a imagem de Deus, se manifesta através da Inteligência, Emoções e Livre Arbítrio na pessoa humana, homem e mulher.

Domínio sobre o Planeta Terra

            Na aliança da Criação ou Edênica Deus delegara ao homem o domínio sobre o planeta Terra, isto é, o Criador colocara a Imago Dei, que em Sua semelhança a humanidade, homem e mulher, deveria exercer autoridade limitada naturalmente, sobre a natureza recém criada. 

Criador

            A Bíblia nos ensina que Deus é amor, e sabemos que o amor sempre tende a repartir bênçãos e acolher pessoas. Deus se comunica com nossos primeiros pais como um bom pai se comunica com seus filhos e reparte responsabilidades para o próprio amadurecimento deles.  Aos seres humanos foi concedida a posição privilegiada de serem parceiros com Deus ao reconhecerem quem Ele era.

            Somente o Criador tinha autoridade e direito de prescrever a humanidade Sua vontade e a verdade sobre o bem e o mal, pois, o homem e a mulher foram criados para viver em sintonia com o caráter e a vontade moral de seu Criador. Os seres humanos dotados de livre arbítrio eram considerados responsáveis por uma resposta de amor a Deus ou ser rebeldes a Sua vontade.

            Deus colocou Adão e Eva numa relação de aliança consigo mesmo, uma aliança que envolvia um mandato claro de cuidar e povoar o planeta criando uma civilização em harmonia com Deus e uma ordem destinada a provar a eles mesmos que tinham livre arbítrio, liberdade de escolha. (Gên. 1:28 e 2:15-17).

por do sol 3

Na Viração do Dia

            Muito interessante é que o Criador Se deleitava com Sua Criação…

            “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. ” Gên. 1:31

            Porém, o mais impressionante, ainda, tanto quanto a Imago Dei no homem, era que Deus buscava relacionamento pessoal com o ser humano.

            Embora Deus sempre fora onipresente, isto é, Ele tem a capacidade divina, incompreensível a nós seres humanos, de estar em todos os lugares ao mesmo tempo, Ele ainda “se agacha”, como um pai que se agacha para falar com o filho pequeno.

            E parece que havia um horário de iniciativa do Criador para “agachar-Se” e ter um momento diário de encontro com Seus filhos.

Adão e Eva I

            “Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia….” Gên. 3:8

  • “Na viração do dia”.

            Outras versões colocam:

  • “a tardinha”
  • “na hora da brisa da tarde”

            Viração é o nome de um tipo de vento brando e suave que geralmente sopra às 6 da tarde.

            Por outro lado, esta palavra pode ser usada também para indicar o término de mais um dia árduo de trabalho, ou seja, o fim do dia, perto das 6 horas da tarde, biblicamente, mais precisamente ao pôr do sol.

            O pôr-do-sol é o marco entre o dia que termina e o outro que se inicia.

            Talvez o Criador quisesse em Seu diálogo com o ser humano leva-lo a meditação e reflexão sobre seus feitos e descobertas do dia que estava acabando.

            Deus é voltado a relacionamentos pessoais com Suas criaturas.

O Sábado/Shabatt

            Tendo a Imago Dei em si, a humanidade fora criada para se relacionar com Deus como Pessoa, para viver em amorosa comunhão com Deus, e para seguir a Deus como o padrão de caráter e fonte de inspiração e sabedoria.

  • Antes do pecado tudo era perfeito?
  • Antes do pecado tudo era santo?
  • Antes do pecado Deus e o homem tinham um contato direto, sem barreiras?

            Então, porque Deus criou o sábado do sétimo dia e o santificou, isto é, o separou para um encontro especial?

sábado II

            Como poderia um lugar aonde tudo era perfeito, santo e não havia separação entre Deus e o homem…

             …o próprio Criador separar um dia que seria santificado, isto é, mais santo do que tudo que já era santo no planeta?

            Qual era a intenção de Deus ao criar o sábado dentro da aliança da Criação?

            Além do encontro diário na “viração do dia”, haveria um encontro mais especial, um encontro semanal, no sétimo dia.

  • No encontro diário o assunto era o que os seres humanos haviam aprendido.
  • No encontro semanal, no sétimo dia, o assunto era a admiração pelo conhecimento de Deus.
  • No encontro diário expressavam sua admiração pelos segredos da natureza recém descobertos. Era o deleite de Deus ver que Seus filhos estavam crescendo.
  • No encontro semanal expressavam sua admiração pela pessoa de Deus, Seu caráter. Era o deleite no homem no seu Senhor, em Sua companhia, em Sua pessoa, conforme bem expressa Isaias 58:14.

            O clímax do privilégio de ser um parceiro da aliança com o Criador era especialmente o convite de Deus estendido a homens e mulheres para entrarem no próprio descanso de Deus, a fim de desfrutarem de uma comunhão semanal com Seu Criador. (Gên. 2:2,3.)

 A Aliança da Criação

            A primeira aliança estabelecida entre Deus e humanidade representada nos primeiros pais, Adão e Eva, é chamada tradicionalmente de Aliança da Criação.

            Essa aliança prepara o terreno para a compreensão do propósito de todas as demais alianças divinas pós-queda.

            Gênesis 1 e 2 apresentam o propósito final da aliança redentiva de Deus, a restauração da relação original de aliança com a humanidade redimida.

            Desde o início, a aliança de Deus com Adão e Eva estabeleceu um elo ou um relacionamento com o Criador, ao se afirmar que eles haviam sido criados à “Sua imagem” e partilhavam de Sua autoridade sobre o planeta Terra.

imago dei

 

E quando homem e mulher cuidavam da flora e da fauna como representantes de Deus, eles foram encarregados de manter a “imagem moral de Deus”, a Imago Dei.

O poeta inspirado expressou esta verdade da seguinte forma:

  • “… pouco abaixo de Deus o fizeste; de glória e de honra o coroaste. ” Salmo 8:5.

Davi no Salmo 23 expressou bem sua admiração por Deus:

  • “Os céus proclamam a glória de Deus, um dia diz a outro dia….”

 

Uma única aliança            

            O compromisso de Deus em fazer uma aliança é restaurar no homem a Sua imagem e Sua semelhança, pois, pela Queda:

  • Sua inteligência foi entenebrecida,
  • Suas emoções pervertidas
  • E seu livre arbítrio comprometido.
  • A auto revelação de Deus fora distanciada.
  • A amizade entre Criador e criatura fora fraturada.
  • A criatura não tem mais prazer na presença do Criador.
  • Surgiu em seu lugar insegurança e medo de Deus.

            Não há no Homem nenhuma possibilidade de esperança, daí que a Aliança sempre é iniciativa de Deus e cabe ao ser humano aceitar ou não essa iniciativa.

               A grande mentira de Satanás havia achado lugar no coração do homem e Deus se tornara uma pessoa distante e ameaçadora. Por isso é comum na Bíblia hebraica que Deus chame a atenção para Si mesmo e dê ênfase em Sua santidade, em Sua bondade e em Sua justiça. Porém, o Criador planejou mostrar Seus atributos em especial Sua santidade visivelmente por intermédio do povo da aliança.

           Deus criara Adão e Eva e fizera a aliança da Criação, e o sinal desta aliança fora o sábado.

“a conclusão óbvia é que a criação, e de maneira suprema o homem, descansou com Deus no sétimo dia e compartilhou da liberdade, descanso e alegria de Deus, embora a obra criada não tivesse ainda nenhuma obra anterior que precisasse interromper. Assim, sua liberdade sabática, seu descanso e alegria tinham como único parâmetro a obra de Deus e não a sua própria. ” Karl Barth 

As Alianças

…mas eles pecaram e o mundo mudou, mas, não para sempre.

  • Abel foi fiel em sua geração através do sangue do sacrifício que foi derramado…

…e acabou tendo o próprio sangue derramado por ser fiel.

  • Noé viveu em uma sociedade corrompida e violenta, ele foi o remanescente de sua geração.
  • Deus chama a Abrão da Mesopotâmia, o berço da civilização e lhe faz a promessa de que nele seriam benditas todas as nações da Terra.
  • …Que gera a Isaque,
  • Que gera a Jacó,
  • Que gera as 12 tribos de Israel,
  • Que entrega os Dez Mandamentos a Moisés,
  • Que pede para construir um Tabernáculo no deserto, que mais tarde é construído como Templo em Jerusalém.
  • Que escolhe os filhos da tribo de Judá para reinar.
  • Que escolhe a família de Jessé.
  • Que escolhe a Davi.
  • E que dá descendência de Davi viria o Mashiach…
  • …em uma Nova Aliança em que seriam benditas todas as nações da Terra.

             revelação progressiva

          O que o Deus de Israel está revelando sucessivamente, em cada passo da história bíblica, a respeito de Si mesmo e de Sua vontade redentora?

            Cada vez que Deus renova sua aliança em ocasiões históricas diferentes, o que Ele acrescenta de revelação de Si mesmo?

            Como podemos entender as diversas alianças na Bíblia Hebraica que ratifica a original e como elas se relacionam entre si?

            Será que qualquer aliança divina subsequente simplesmente substitui a anterior?

            Essa aliança divina pode ser entendida como estágios sucessivos de uma aliança divina única de graça redentora que é cumprida em Ieshua/Jesus.

            O rabino Shaul/Paulo ressaltou esse aspecto quando escreveu:

            “Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nEle o SIM. ” II Cor. 1:20.

            Paulo sugere uma unidade das promessas da Bíblia Hebraica, que sugere a unidade essencial que elas têm no Messias de Nazaré.

            Essa unidade teológica encontra sua fonte na aliança eterna de Deus:

            “(Ele) nos escolheu nEle, antes da fundação do mundo”. Ef. 1:4,

                “…segundo o seu próprio propósito e a graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos eternos, e que agora se manifestou pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus, II Tim. 1:9, 10.  (I Pedro 1:20, Apoc. 13:8.)

            A aliança que Deus fez com a humanidade no paraíso antes da queda conserva sua importância fundamental, pois, as alianças de Deus depois da queda pretendem restaurar a relação de aliança original do paraíso.

            Em Isaías 11:1-10 a vinda do Messias está atrelada a restauração de todas as coisas a uma situação de antes da Queda…

            …de antes do pecado.

            Sobre Ele o sétuplo poder do Espírito seria derramado:

  1. O dom do Espírito.
  2. O espírito de sabedoria
  3. E de entendimento,
  4. O espírito de conselho
  5. E de fortaleza,
  6. O espírito de conhecimento
  7. E de temor do Senhor.   

            Traria a justiça sobre a terra e finalmente tudo seria restaurado a ordem original da Criação:

            “Morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará; e o bezerro, e o leão novo e o animal cevado viverão juntos; e um menino pequeno os conduzirá.   A vaca e a ursa pastarão juntas, e as suas crias juntas se deitarão; e o leão comerá palha como o boi.  A criança de peito brincará sobre a toca da áspide, e a desmamada meterá a sua mão na cova do basilisco. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte; porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar. ” 

nova terra III

Ieshua/Jesus Reafirma a Aliança da Criação

            Na polêmica sobre o divórcio Ieshua/Jesus foi enfático:

  • “…não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez…”
  • “…não foi assim desde a Criação do mundo”. Mat. 19:4-8.

            Quando o Mashiach reconhece a autoridade dos escritos de Moisés…

            …Ele nos entrega a “chave” para entendermos o propósito permanente de todas as alianças na história da salvação:

Ele reconhece o livro de Gênesis como referência inspirada. Ieshua/Jesus atesta que há um Criador e consequentemente uma criação, Ele era Criacionista. Ele mostra que o ideal divino está atrelado ao ideal de antes da entrada do pecado neste mundo. Nas palavras de Ieshua/Jesus entendemos que Deus, o Criador, quer nos levar de volta ao que era “…desde o princípio…”.

               Através de Abel, Noé, Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, Judá e Davi, o Messias viria para restaurar todas as coisas…

            …Deus progressivamente revelou Seu plano de redenção.

            A cada geração uma verdade presente era revelada e ampliada. A obra de Deus é a mesma em todos os tempos embora haja graus diversos de  envolvimento e diferentes manifestações de Seu poder para satisfazer as necessidades dos homens nas várias épocas. Tem havido um desenvolvimento gradual dos propósitos de Deus no plano da redenção. (E.G.W.)

כִּ֣י כֹ֣ה אָֽמַר־יְ֠הוָה בֹּורֵ֨א הַשָּׁמַ֜יִם ה֣וּא הָאֱלֹהִ֗ים יֹצֵ֨ר הָאָ֤רֶץ וְעֹשָׂהּ֙ ה֣וּא כֹֽונְנָ֔הּ לֹא־תֹ֥הוּ בְרָאָ֖הּ לָשֶׁ֣בֶת

יְצָרָ֑הּ אֲנִ֥י יְהוָ֖ה וְאֵ֥ין עֹֽוד׃ (Hebrew OT: Westminster Leningrad Codex

            “Porque assim diz o Senhor, que criou os céus, o Deus que formou a terra, que a fez e a estabeleceu, não a criando para ser um caos, mas para ser habitada: Eu sou o Senhor e não há outro. ”   Isaías 45:18

Καὶ εἶδον οὐρανὸν καινὸν καὶ γῆν καινήν· ὁ γὰρ πρῶτος οὐρανὸς καὶ ἡ πρώτη γῆ ἀπῆλθαν, καὶ ἡ θάλασσα οὐκ ἔστιν ἔτι.

καὶ τὴν πόλιν τὴν ἁγίαν Ἱερουσαλὴμ καινὴν εἶδον καταβαίνουσαν ἐκ τοῦ οὐρανοῦ ἀπὸ τοῦ Θεοῦ, ἡτοιμασμένην ὡς νύμφην κεκοσμημένην τῷ ἀνδρὶ αὐτῆς.

καὶ ἤκουσα φωνῆς μεγάλης ἐκ τοῦ θρόνου λεγούσης Ἰδοὺ ἡ σκηνὴ τοῦ Θεοῦ μετὰ τῶν ἀνθρώπων, καὶ σκηνώσει μετ’ αὐτῶν, καὶ αὐτοὶ λαοὶ αὐτοῦ ἔσονται, καὶ αὐτὸς ὁ Θεὸς μετ’ αὐτῶν ἔσται,

καὶ ἐξαλείψει πᾶν δάκρυον ἐκ τῶν ὀφθαλμῶν αὐτῶν, καὶ ὁ θάνατος οὐκ ἔσται ἔτι, οὔτε πένθος οὔτε κραυγὴ οὔτε πόνος οὐκ ἔσται ἔτι· ὅτι τὰ πρῶτα ἀπῆλθαν. (Greek Texts – Nestle GNT 1904 )

            “E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe…

            …E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles.   

            …Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. ” Apoc. 21:1-4.   

anjos três

            A aliança da Criação ou do Éden foi reafirmada a cada geração…

            …e hoje é proclamada em todo o mundo através do evangelho eterno:

            “E vi outro anjo voando pelo meio do céu, e tinha um evangelho eterno para proclamar aos que habitam sobre a terra e a toda nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo com grande voz:

            Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é chegada a hora do seu juízo;

            …e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. ” Apoc. 14:6 e 7  

Wladimir

Coordenador da HJ     

           

           

           

 

 

 

[i] Inspirado no livro “Nosso Criador Redentor – Introdução à Teologia Bíblica da Aliança” de autoria de Hans K. Larondelle – Estudos em Literatura Bíblica – Volume 1,

Anúncios