O sétimo dia na Brit hadashá


Como vimos ontem, os textos da brit hadashá comumente usados para promover a ideia de que o domingo substituiu o Shabat não afirmam isso. Na verdade, toda referência ao sétimo dia (Shabat) na Brit Hadashá revela que ele ainda estava sendo guardado como um mandamento do Eterno.
7. Leia Lucas 4:14 a 16; 23:55 e 56. O que essas passagens declaram sobre o sétimo dia, o Shabat, antes e depois da morte do Mashiach?

mulheres e shabat

Observe que as mulheres que estiveram com o Mashiach “descansaram, em obediência ao mandamento.” (Lc 23:56). Essa é uma referência ao quarto mandamento, escrito nas tábuas de pedra, no Sinai. Portanto, entre as coisas que essas mulheres aprenderam em sua experiência com Yeshua, não há indícios de que ele tenha lhes ensinado algo diferente,
senão cumprir as mitzvot de D’us, que incluem a guarda do Shabat. Na verdade, o Mashiach disse a seus talmidim: “Se vocês me amam, guardarão meus mandamentos” (Jo14:15). Seus mandamentos, os quais Ele mesmo havia guardado, incluíam a observância
do sétimo dia. Se o Shabat devia ser substituído pelo domingo, essas mulheres nada sabiam sobre isso.
8. Leia Atos 13:14, 42 a 44 e Atos 16:12 e 13. Quais evidências esses versos apresentam em favor da guarda do Shabat? Quais provas eles trazem em defesa da observância do domingo?
Não encontramos nesses textos nenhuma evidência de mudança do dia de guarda, isto é, do Shabat para o domingo. Em vez disso, eles mostram claramente a prática entre os seguidores de Yeshua de guardar o Shabat.
O episódio de Atos 16:13 é especialmente interessante, pois ocorreu fora do contexto da sinagoga. Eles se reuniram ao lado de um rio, onde alguns tinham o costume de orar. Eles fizeram isso no Shabat, muitos anos depois da morte de Yeshua. Nada nessas passagens
indica uma mudança do dia de guarda para o domingo.
Como você pode testemunhar aos guardadores do domingo a respeito do Shabat, de maneira
gentil e sem demonstrar condenação?

Anúncios