Jerusalém destruída – “Abominação devastadora”


Em seu discurso sobre o tempo do fim, Yeshua mencionou “a abominação devastadora”
(Mt 24:15), uma imagem do livro de Daniel (Dn 9:27; 11:31; 12:11). Quando algo era uma grave transgressão de sua Torá, D’us declarava que isso era “abominável”,
como idolatria (Dt 27:15) ou as práticas sexuais imorais (Lv 18:22). Por isso, essa “abominação devastadora” envolvia um certo tipo de apostasia religiosa.

5. Sobre o que Yeshua se referiu quando falou sobre a “abominação devastadora”? (Mt 24:15 e Lc 21:20)

Caso não tenha acesso a uma Bíblia impressa acesse o link abaixo:

https://www.bibliaonline.com.br/acf

Esses dois textos deixam claro que o discurso de Yeshua inclui, em um sentido mais imediato, a terrível destruição que viria sobre Yerushalayim em 70 e.c, quando Roma destruiria não apenas a cidade, mas também o Segundo Templo.
No entanto, há um segundo cumprimento para essa profecia, em que os eventos mais imediatos, como a destruição de Yerushalayim, constituem um tipo do futuro, os eventos finais.

Romanos 3

“O Mashiach viu em Yerushalayim um símbolo do mundo endurecido na incredulidade e rebelião, e apressando-se ao encontro dos divinos juízos retributivos”.
Em Daniel 12:11 e 11:31, a “abominação devastadora” aparece relacionada à última fase de Roma, o período papal, em que um sistema alternativo de mediação e salvação foi estabelecido, e que busca usurpar o que o Mashiach fez e está fazendo por nós hoje no Templo Celestial. Daniel 8:9 a 12, coloca esses eventos em seu contexto histórico, dividindo o poder romano
em duas fases. A primeira fase, vista na rápida expansão horizontal do chifre pequeno
(Dn 8:9), mostra o vasto império de Roma pagã. Na segunda fase (Dn 8:10-12), o chifre pequeno
cresce verticalmente, lançando por terra algumas estrelas (perseguindo o povo de D’us) e
engrandecendo-se até ao “Príncipe das hostes” (Dn 8:11), Yeshua. Essa fase representa o período
papal, que surgiu da queda do Império Romano pagão, mas continua sendo Roma. É por isso que um único símbolo, o chifre pequeno, representa ambas as fases do mesmo poder.
O juízo (Dn 7:9, 10),a purificação do santuário em (Dn 8:14) e os sinais no céu (Mt 24) – todos indicam a intervenção de D’us em favor de Seu povo nos últimos dias.

Anúncios