A vitória da Bessorá


Muitos historiadores acreditam que as três décadas mais cruciais da história mundial tenham ocorrido quando um pequeno grupo de homens, sobretudo judeus sob o poder do Ruach Hakodesh, levou o mensagem da Bessorá ao mundo. O livro de Atos dos emissários é um relato dessas três décadas cruciais, que vão desde a ressurreição de Yeshua, em 31
e.c., até o fim da primeira prisão de Rabi Shaul em Roma, em 62 e.c. (At 28:30). Provavelmente
o livro tenha sido escrito pouco tempo depois disso, pois a narrativa é interrompida nesse ponto, embora existam evidências de que Shaul foi libertado dessa prisão e que ele retomou seus esforços, levando a mensagem e viajando até ser preso alguns anos depois e, então, executado em Roma, em 67 e.c.

escriba 2.jpg

O livro nada declara sobre seu autor, mas a tradição sempre o identificou como Lucas, “o médico amado” (Cl 4:14). Lucas também é tradicionalmente considerado o autor do livro que leva o seu nome, “o primeiro livro” mencionado em Atos 1:1 (compare com Lc 1:3). Os
livros de Lucas e o Atos tratam dos primórdios do kehilá, de sua origem (a vida e o trabalho de Yeshua) e de sua expansão (o trabalho dos shlichim).
Lucas é o único autor não judeu de livros da Brit Hadashá. Isso parece explicar um de seus temas principais: a universalidade da yeshuá. D’us não tem favoritos.

sinagoga I

A kehilá é chamada a testemunhar a todos, independentemente da etnia, classe social ou sexo (At 1:8; 2:21, 39, 40; 3:25; 10:28, 34, 35). A omissão em fazer isso, por preconceito ou conveniência, é uma distorção das Escrituras, contrária às verdades fundamentais da Palavra de D’us. Diante Dele, somos iguais: pecadores que necessitam da redenção encontrada no Mashiach. O livro de Atos conta a história dos que foram chamados pelo Eterno para iniciar o trabalho.
O que nós, que fomos chamados para concluí-la, podemos aprender com a história deles?

Anúncios