Livre-arbítrio


SEGUNDA-FEIRA

Livre-arbítrio

            No relato da criação está incrustada a advertência dada por D-s sobre a ordem de não comer da “árvore do conhecimento do bem e do mal” (Bereshit [Gênesis] 2:9). Portanto, desde o princípio podemos ver o elemento moral concedido à humanidade, algo que não é visto em nenhuma das outras criaturas vivas. Como dissemos ontem, a capacidade de discernimento moral é uma das formas pelas quais os seres humanos revelam a imagem e semelhança de D-s.

            O que Bereshit/Gênesis 2:15-17 diz sobre a realidade do livre-arbítrio nos seres humanos?

            D-s poderia ter criado os seres humanos de forma que cumprissem automaticamente Sua vontade. Essa é a maneira pela qual foram criadas as outras coisas, como a luz, o Sol, a Lua e as estrelas. Elas obedecem a D-s sem nenhum elemento de escolha; cumprem a vontade de D-s automaticamente, por meio de leis naturais que guiam suas ações. Mas a criação do homem e da mulher foi especial. D-s os criou para si. Desejava que eles fizessem suas próprias escolhas e que escolhessem adorá-lo voluntariamente, em vez de serem forçados a fazê-lo. Do contrário não poderiam amá-lo, porque o amor, para ser verdadeiro, precisa ser dado livremente. Por ser de origem divina, o livre-arbítrio é protegido e respeitado por D-s.

livre arbitrio I

            O Criador não interfere nas escolhas mais profundas e persistentes dos homens e mulheres. As escolhas erradas também têm consequências e, às vezes terríveis, mas é contra o caráter de nosso soberano Senhor forçar a submissão ou a obediência. O princípio do livre-arbítrio humano tem três importantes implicações: Para a religião: O D-s onipotente não dirige a vontade e as escolhas individuais de maneira unilateral. Para a ética: Os indivíduos serão considerados moralmente responsáveis por seus atos. Para a ciência: Os atos do corpo e do cérebro não são inteiramente determinados pela lei da causa e do efeito. As leis físicas estão envolvidas em nossos atos, mas o livre-arbítrio significa que temos escolha com respeito a eles, especialmente quanto aos atos morais.

            Quais escolhas morais livres você terá que fazer nas próximas horas, dias e semanas? Como você pode ter certeza de que está usando corretamente o sagrado dom do livre-arbítrio? Pense nas, consequências do uso errado desse dom.

Estudo Diário

Leitura Chumash Parashat Balac, 2ª Alyá (Números 22:13-22:20) Tehilim [Salmos] 66-68 – Leitura Reavivados por sua palavra: Revelação 2 Leitura Anual: Tehilim [Salmos] 81 a 85

Anúncios